Militares da GNR transportaram combustível para o Algarve e Beja

O Algarve é uma das regiões mais críticas e onde mais tem faltado o combustível

A Guarda Nacional Republicada (GNR) realizou, esta segunda-feira, 12 de Agosto, o transporte de combustível em 13 veículos pesados para as regiões do Algarve, Beja, Setúbal e Lisboa. 

Este transporte foi feito na sequência da Situação de Alerta, declarada pelo ministro da Administração Interna, e envolveu 26 militares da GNR.

A Polícia de Segurança Pública (PSP) assegurou, também, o transporte de combustível em sete veículos pesados de transporte de mercadorias perigosas com destino às regiões de Lisboa, Setúbal e Sintra com o empenhamento de 7 elementos da PSP.

A situação de alerta foi declarada para o período compreendido entre as 23h59 do dia 9 de Agosto de 2019 e as 23h59 do dia 21 de Agosto de 2019, em todo o território de Portugal continental.

De resto, o Governo decretou, ontem, a requisição civil dos motoristas de matérias perigosas, que estão em greve, devido ao incumprimento dos serviços mínimos.

O Algarve é uma das regiões mais críticas e onde mais tem faltado o combustível.

De acordo com dados da Entidade Nacional para o Setor Energético, às 8h00 desta terça-feira, dia 13, os 22 postos da Rede Especial de Postos de Abastecimento (REPA) do Algarve só tinham 20,6% do stock total de gasolina e 21,6% de gasóleo.

Já em Beja, o volume era de 27,9% (gasolina) e 21,2 % (gasóleo) nos 11 postos REPA. Os dados destes dois distritos -Faro e Beja – são muito baixos, comparados com os do resto do país.

A greve dos motoristas de matérias perigosas ainda não tem fim à vista.

Comentários

pub
pub