Gonçalo e o obediente Scar representam Portugal no Mundial de Pastores Alemães

Jovem treinador de cães de Lagos está a sortear um salto de páraquedas para angariar fundos para a viagem e estadia em Itália

O jovem lacobrigense Gonçalo Guerreiro e o seu cão de pastor alemão, o Scar, vão representar Portugal no Campeonato do mundo de Pastores Alemães, que vai decorrer em Modena, Itália, de 2 a 6 de Outubro.

A dupla algarvia vai fazer os quase 2500 quilómetros que separam Lagos de Modena de carro, um meio de transporte «menos stressante para o Scar do que o avião». E o objetivo está traçado, desde já: «Como é óbvio, vou lá com a intenção de ganhar. Mas também quero aprender coisas novas, porque, se não sairmos da nossa zona de conforto, nunca conseguiremos evoluir», resumiu Gonçalo Guerreiro, em declarações ao Sul Informação.

O treinador de cães lacobrigense, de apenas 19 anos, decidiu entrar nesta aventura mal soube que, este ano, o campeonato do mundo teria, pela primeira vez, a disciplina de obediência, aquela que pratica. «Então, eu pensei: porque não ir lá fora? Se estivermos sempre cá, não evoluímos».

Desta forma, submeteu-se a uma prova, realizada em Portugal, na qual obteve uma classificação superior a 80%, o que lhe permitiu apurar-se para o mundial.

Foi também na sequência desta prova que Gonçalo soube o grau em que poderia participar. «Há três graus, do um, o mais fácil, ao três, o mais difícil. Eu vou competir no grau dois».

Para poder ir a Itália e participar na competição, Gonçalo terá de arcar com todas as despesas. E é para angariar fundos que serve o sorteio de um salto de páraquedas que o treinador de cães está a promover.

«O sorteio vai realizar-se no dia 15 de Setembro, no Aeródromo de Portimão. Para participar no sorteio, as pessoas só têm de me ligar (968 517 370). O valor de cada rifa é cinco euros ou o valor que quiserem dar e habilitam-se a ganhar o voucher para um salto de páraquedas, que me foi oferecido SkyDive7», explicou Gonçalo.

O evoluir do treino e outras novidades sobre a participação de Gonçalo Guerreiro no Campeonato do Mundo podem ser seguidas na página profissional do treinador de cães no Facebook.

 

 

Reunidas as condições necessárias, Gonçalo e Scar só terão de se concentrar em fazer uma viagem o menos stressante possível, para que o também jovem Scar –  «tem três anos, ainda é um cão novo» – possa estar ao seu melhor nível, quando entrar em competição.

«O Scar é um bom cão! E não digo isto por dizer, se eu achasse que não tinha capacidade, nem sequer valia a pena ir lá ao mundial», enquadrou Gonçalo.

O treinador de cães de Lagos antecipou aquilo que será o campeonato, para a dupla algarvia. «Já sei quais os exercícios que vou apanhar. Mas isto é um campeonato do mundo, a exigência é muito alta», disse.

Num dos exercícios, exemplifica,  há um quadrado de três metros por três, marcado com quatro pinos e com fitas. «Eu estou a 25 metros e tenho de conseguir com que o Scar entre no quadrado e que fique deitado lá no meio».

«Este é um exercício difícil porquê? Para já, três por três não é assim tão grande. Basta o cão ficar com uma pata de fora, fica logo com zero pontos», explicou Gonçalo Guerreiro.

Depois, há que contar com outros fatores «que fazem a diferença», como «a técnica, a rapidez ou o facto do cão estar alegre ou triste».

«Todas as modalidades e disciplinas são difíceis, cada qual tem as suas especificidades. Mas, para mim, a mais difícil é a obediência, que se decide no mínimo detalhe. É o pormenor que diferencia um nove de um dez. Não basta o cão fazer, tem de ter uma pontuação alta. Não me vale de nada fazer todos os exercícios, mas ter apenas cinco pontos em cada», resumiu Gonçalo Guerreiro.

Comentários

pub
pub