Festival F bate recordes na venda antecipada de bilhetes

Há uma procura maior pelos bilhetes de dia 6, em que a banda Ornatos Violeta dará o último concerto da tournée especial que está a realizar

Mais bilhetes vendidos antecipadamente do que em anos anteriores e procura de Norte a Sul do país, bem como da vizinha Espanha. O Festival F volta a trazer a Faro grandes nomes da música portuguesa, entre os dias 5 e 7 de Setembro, e foram muitos aqueles que não quiseram esperar e garantiram, desde logo, ingressos para o evento.

Até ontem, quarta-feira, já estavam vendidos «mais de 50% dos bilhetes», na sua larga maioria passes gerais, para os três dias, revelou Paulo Santos, vice-presidente da Câmara de Faro e coordenador do Festival F, numa conferência de imprensa que serviu para apresentar a programação complementar do evento.

Muitos destes ingressos foram vendidos durante o período em que o preço do bilhete para os três dias era bem mais acessível. Até 12 de Agosto, o bilhete de festival custava 30 euros. Neste momento e até à data do festival, custa 45 euros.

«Estes números permitem-nos ter boas perspetivas, no que toca à venda de bilhetes. Por outro lado, também notámos uma forte procura fora do Algarve, de cidades como Braga, Porto, Viseu, Coimbra e Lisboa. Há muita gente a pedir-nos informação sobre a cidade e sobre onde ficar», disse Paulo Santos.

 

Paulo Santos

 

Além dos passes de três dias, há uma data que está suscitar especial interesse, 6 de Setembro, a última oportunidade de ver atuar os Ornatos Violeta, que estarão no F a propósito do 20º aniversário da edição do álbum “O Monstro Precisa de Amigos”.

Esta banda portuguesa é apenas uma das muitas que irão compor o cartaz musical, que já fora antes anunciado. Amor Electro, Ana Bacalhau, António Zambujo, Baile Funk, Capitão Fausto, Carolina Deslandes, David Carreira, Linda Martini, Mayra Andrade, Profjam, RevengeOf The 90’s ou 9 Miller são outros nomes que fazem parte do alinhamento do festival.

Uma grande novidade da edição deste ano do F – aliada ao Glamping na Praia de Faro – é a oportunidade que o público terá de embarcar, literalmente, em concertos especiais, que terão lugar a bordo da embarcação Jamanta, da empresa Animaris (Ilha Deserta). Este barco, que acolheu a conferência de imprensa de ontem, transformar-se-á no Palco Formosa e receberá concertos intimistas, para um máximo de 150 pessoas, dos músicos Benjamin (dia 5), Valter Lobo (dia 6) e Momo (dia 7).

Mas o F assume-se como um festival que vai para além da música e onde cabem pessoas de todas as faixas etárias. Daí que haja uma forte oferta complementar, que vai desde a stand up comedy ao teatro, passando por tertúlias, exposições, novo circo e workshops para o público mais jovem.

«Desde o início, o F teve duas grandes linhas orientadoras. Uma delas era fazer um festival de música portuguesa, com aquilo que é nosso – o que não é fácil. A outra era trazer ao F gente de todas as idades e não só de Faro, embora este festival seja feito a pensar nos farenses. Queríamos apanhar gente de todas as faixas etárias e famílias e acho que conseguimos atingir esse objetivo», considerou o presidente da Câmara de Faro Rogério Bacalhau, em declarações ao Sul Informação, à margem da apresentação da programação complementar do F.

 

Rogério Bacalhau

 

«O que nós tentamos, muito por causa das famílias e do público que nos visita, é proporcionar experiências diferentes às pessoas e que este não seja um festival exclusivamente de música. A ideia é surpreender as pessoas com toda a dinâmica que envolve o evento, desde a Vila-Adentro, à Ria Formosa e toda esta natureza», resumiu, por seu lado, Gil Silva, diretor do Teatro das Figuras, que organiza o F.

O sucesso de alguma desta oferta, nomeadamente da stand up comedy, obrigaram, de resto, a um rearranjo dos palcos. Este ano, o humor vai mudar-se da Associação de Músicos, na antiga Fábrica da Cerveja, para o palco Castelo.

«Começámos a sentir que o Palco Músicos era muito pequeno para a procura que a stand up já tinha. Por outro lado, a Associação de Músicos também mostrou interesse em fazer a curadoria do seu próprio palco, mais voltado para a música jazz e outros estilos que eles consideram mais convenientes», explicou Gil Silva.

Desta forma, o humor passa para o Castelo, que tem «um espaço maior e que permite ao público estar mais confortável».

Em 2019, vão passar em Faro os humoristas Francisco Menezes, João Seabra, Jorge Picoto, Joana Santos e Luís Brito Rocha (dia 5), Hugo Sousa, Jel, Pedro Neves, Rúben Branco, Manuel Rosa e Dora Bela (6) e GilmárioVemba, Miguel 7 Estacas, Miguel Lambertini e Luana do Bem (7). Pedro Luzindro será o apresentador.

As novidades, no que toca aos palcos, não ficam por aqui. «Também aproveitámos o espaço da Fábrica, ao lado da Associação dos Músicos, que dá um palco muito bonito. No palco Arco, vamos ter um espaço chill out, com congas tibetanas e uma série de concertos mais contemplativos, para aproveitar toda esta natureza».

 

Gil Silva

 

Como é já tradição, também não faltarão no F tertúlias com nomes bem conhecidos do grande púbico, que acontecem nos três dias, às 19h30. No dia 5 de Setembro, Raquel Henriques, modelo e fitnesscoach, e Rita Andrade, nutricionista, vão falar sobre “Saúde e Sacrifício”, numa conversa moderada pelo jornalista João Gobern. No dia seguinte o tema é “Alma de Viajante” e os convidados são o humorista Diogo Faro, o blogger Filipe Mourato Gomes e Joana Amaral Dias, com a moderação a ficar a cargo da radialista Ana Isabel Arroja. No último dia do festival, “A Ironia é uma Arma” será o tema abordado pela atriz Maria Rueff e por Hugo Van der Ding, ilustrador, autor e apresentador, numa conversa moderada por Pedro Vieira, escritor e apresentador.

Os mais novos terão, como sempre, um programa a si dedicado. Nos três dias, será promovida a oficina de novo circo “CirKoMaGia e Fantasia”, o concerto poético “O Pássaro Escritor”, a performance “MuTis”, pela Companhia Xibalba, e a exposição viva “Roubei um livro na cabine de leitura e hoje vou ler”, na qual as crianças podem participar.

No dia 5, há uma oficina de assobio e desenho, bem como a oportunidade de participar na viagem sonora “Cosmic Gong Bath – SoundJourney”, ao som de gongos e taças tibetanas, entre outros instrumentos. No dia 6, as crianças podem desfrutar da peça de teatro “Aceitas?”, do concerto meditativo “Dreamconcert” com voz, violoncelo e instrumentos intuitivos e meditativos e do espectáculo de circo contemporâneo “ATEMPO”, bem como participar na oficina de construção e manipulação de marionetas “Os Extraterrestres”. A 7 de Setembro, além de ver um concerto “Mantra Jazz Fusion”, que revisita mantras indianos, a perfomance “Objetoteca popular itinerante” e a peça de teatro “Os Grandes não têm grandes ideias”, os mais novos terão a oportunidade de participar numa oficina de Hip-Hop.

 

 

No campo das exposições, poderão ser vistas, durante o festival, as mostras “Os desvios da Natureza”, obras das colecções de pintura naturalista e de arqueologia da colecção Millennium BCP, e “Ares de Mesa” de Jorge Cerqueira, no Museu Municipal de Faro, “Eu metia as mãos na água”, de João Jacinto, na Galeria Trem, “Life-time” de Eduardo Pinto e “The WrongHouse Project”, ambas na Galeria Arco.

Paulo Santos fez, ainda, questão de falar na oferta de Glamping que será instalada junto ao Centro Náutico da Praia de Faro. Aqui, serão disponibilizadas «tendas para duas pessoas, que custarão 65 euros por pessoa, por noite, e tendas para cinco pessoas, a 45 euros por cabeça». Estes valores incluem a viagem de ida e volta, de barco, entre a praia e a Vila-Adentro, onde decorre o F.

Fotos: Hugo Rodrigues|Sul Informação

Cartaz completo do Festival F:

Comentários

pub
pub