Exposição em Loulé recorda os efeitos do sismo de 1969 neste concelho e não só

No concelho de Loulé, há duas falhas sísmicas

Pessoas que viveram sismo de 28 de Fevereiro de 1969, no concelho de Loulé, vão estar presentes para contarem as suas memórias vivas na inauguração da exposição alusiva, que abre no dia 20 de Agosto, às 18h00, nos Claustros do Convento Espírito Santo, naquela cidade.

A exposição é uma iniciativa da Câmara Municipal de Loulé, através do Serviço Municipal de Proteção Civil e da Divisão de Cultura, Museu e Património.

No ano em que se assinala meio século desde este momento que assolou o país, em especial o Sul, a exposição “28 de Fevereiro de 1969, memórias do sismo”, promovido pela Sociedade Portuguesa de Engenharia Sísmica (SPES) e Centro Europeu de Riscos Urbanos (CERU), tem como principal objetivo ajudar a preservar a memória coletiva do sucedido nessa data, lembrar o passado para compreender o presente e preparar o futuro, contribuindo para a formação de cidadãos responsáveis.

O sismo de 1969, de magnitude 7,9 na escala de Richter, deu-se pelas 3h41 de 28 de Fevereiro. Atingiu o Sul de Portugal e a região de Lisboa, mas também foi sentido no Norte, sendo considerado o mais importante do século XX em território nacional.

O sismo provocou alarme e pânico entre a população, cortes nas telecomunicações e no fornecimento de energia elétrica. Registaram-se 13 vítimas mortais em Portugal Continental, 2 como consequência direta do sismo e 11 indiretas.

«É fortemente expetável que o território do concelho de Loulé, bastante atingido no passado por diversos abalos sísmicos, por se situar numa zona de sismicidade de grau 9 e 10 (“sismicidade máxima”), possuindo também as falhas sísmicas denominadas de Loulé e de Querença, venha a ser afetado com consequências graves por um evento relacionado com este risco natural pelo que a sensibilização para as medidas a adotar numa situação de catástrofe natural como é o caso de um sismo continua a ser uma das grandes apostas do Serviço Municipal de Proteção Civil de Loulé», salienta a autarquia.

A exposição poderá ser vista de 20 de Agosto a 16 de Setembro.

Uma exposição semelhante, mas sobre as memórias de Albufeira, está também patente, até 17 de Agosto, no Museu de Arqueologia desta cidade.

Comentários

pub
pub