Exposição que navega pela história de Silves chega com a Feira Medieval

Mostra estará patente até Maio de 2020

A exposição “Silves no Tempo e pelo Mar Adentro” vai chegar ao Museu Municipal de Arqueologia de Silves com a Feira Medieval. A mostra vai ser inaugurada amanhã, às 19h00, e poderá ser visitada até Maio de 2020.

«Procurar-se-á, deste modo, dar a conhecer aos visitantes da cidade a importância que o rio – que é um elemento central da história que se conta nesta edição da Feira Medieval de Silves – teve ao longo da vida desta cidade», segundo Rosa Palma, presidente da Câmara Municipal de Silves

«Não queremos que este evento seja somente um evento de animação, mas de verdadeira descoberta da história da nossa cidade e da importância que ela teve ao longo do tempo e, nesse sentido, é importante compreender o papel do rio no seu desenvolvimento e no relacionamento que estabeleceu com povos de origens tão distantes como os vikings», acrescentou.

Em 2019, a Feira Medieval, que começa amanhã, terá como imaginário as disputas entre os muçulmanos que governaram o Algarve a partir de Silves e os vikings que faziam incursões e ataques na região a partir do mar.

E foi precisamente a proximidade ao mar que «fez do território de Silves um espaço ocupado pelo Homem desde, pelo menos, a Idade do Ferro, altura em que se funda nas imediações da atual cidade um entreposto comercial que manteve atividade até à época islâmica».

«É a este último período que remonta a mais antiga fonte escrita alusiva a Silves, que descreve, a partida do porto da cidade do poeta e diplomata Al-Gazali, para ir à terra dos normandos negociar a paz», enquadrou a Câmara de Silves.

«Desde aí até aos nossos dias a História encarrega-se de nos contar as suas estreitas relações e do seu território com o mar, tanto na ótica da exploração dos seus recursos, como pelo ponto de acesso através do rio Arade a outros lugares, com os quais mantinha relações comerciais e partilha de ideias», acrescentou.

A exposição que será inaugurada amanha irá assentar «nesta relação constante e de proximidade ao mar» e procurará passar pelos pontos mais importantes da história de Silves. Nela cabem «o longínquo entreposto comercial da Rocha Branca», mas também a viagem de Al-Gazali, as incursões vikings no mar do Gharb, os estaleiros de construção naval que tornaram Silves rica em época islâmica e notada durante as descobertas e «a partida dos barcos carregados de cortiça para destinos longínquos que marcaram a paisagem ribeirinha da cidade até meados do século XX».

Comentários

pub
pub