Dois livros inéditos de Tóssan e catálogo da exposição lançados em Loulé

Exposição pode (e deve) ser visitada até 31 de Agosto

Dois livros inéditos de Tóssan vão ser apresentados no dia 22 de Agosto, quinta-feira, às 18h30, nos Claustros do Convento Espírito Santo, em Loulé. Na mesma ocasião, será ainda lançado o catálogo da exposição “O Homem que só queria ser Tóssan”, patente ao público na Galeria de Arte do Convento Espírito Santo, até 31 de Agosto.

Trata-se dos livros “Lógica Zoológica fritos e desfrutos, animália, contos e descontos” e “Tóssan versos côncavos e conversos”, selecionados a partir do espólio literário de centenas de papéis, rabiscados ou passados à máquina quase todos inéditos.

As 296 páginas do catálogo “O Homem que só queria ser Tóssan” revelam muitos testemunhos da espantosa criatividade de quem o seu amigo, o historiador e embaixador brasileiro em Lisboa Alberto da Costa e Silva, dizia: «Não queria ser um grande artista, nem um grande ator, escritor ou pintor. Ele queria ser o Tóssan e o Tóssan ele foi plenamente».

A exposição conta a história da vida e obra de Tóssan, através de 250 peças, entre originais, documentos e materiais.
Tossán (António Fernando dos Santos) nasceu em Vila Real de Santo António, no ano de 1918, e faleceu em Lisboa em 1991.

Foi um homem multifacetado que dedicou a sua vida à arte, como pintor, ilustrador, cenógrafo, vitralista, caricaturista, humorista, decorador, designer e gráfico.

Mas o que o destacou foi o seu enorme talento e a sua maneira de ser divertida, acutilante e de contador de histórias. Era o humorista total, o poeta do absurdo, o declamador de memória prodigiosa, o incrível conviva que reinava em jantares e festas, desfiando ininterruptamente histórias fantásticas que muitas vezes eram apenas episódios da sua vida real.

 

Comentários

pub
pub