Dino D’Santiago é cabeça de cartaz no Festival Sete Sóis Sete Luas em Castro Verde

Músicas do Mediterrâneo e de expressão lusófona e artes plásticas marcam o programa

Dino D’Santiago é um dos nomes em destaque na nova edição do Festival Sete Sóis Sete Luas em Castro Verde, marcada para os dias 6 a 8 de Setembro.

Os espetáculos e apresentações de rua irão acontecer no Anfiteatro Municipal e junto à Igreja dos Remédios, naquela vila do Baixo Alentejo.

«Com uma programação rica e variada, onde as diferentes formas de expressão cultural do Mediterrâneo e do mundo lusófono encontram lugar, a aposta passa por proporcionar momentos de partilha, aprendizagem e descoberta», explica a Câmara de Castro Verde, que acrescenta que o município integra a rede cultural do Sete Sóis Sete Luas desde o ano 2000.

Durante estes dias, o Festival apresenta em Castro Verde o virtuoso mandolinista italiano, Mimmo Epifani que, em conjunto com “The Barbers”, interpreta um repertório original, ligado a instrumentos de corda, como bandolim, mandola, mandoloncello e aos instrumentos étnicos utilizados nos salões de barbeiros de Salento, no sul de Itália.

Também a Orkestra Popular Des 7Luas (Mediterrâneo), produção original do festival, que reúne músicos do Brasil, Itália, Espanha, Portugal, e Guiné-Bissau, se apresenta em concerto nesta edição, num concerto onde visita a música popular destes países do Mediterrâneo e do Mundo Lusófono.

Dino D’Santiago (Cabo-Verde/Portugal), nome incontornável da cena atual da música portuguesa, é outro dos músicos que se apresenta em Castro Verde, num espetáculo marcado para 8 de Setembro, onde não faltarão os sons da tradição cabo-verdiana, em sintonia com o peso contemporâneo da música eletrónica.

As sonoridades tradicionais do Alentejo também marcam presença nesta edição do festival, através das melodias do grupo de música popular Cantares do Sul (Portugal).

A animação de rua fica a cargo de Yldor Llach (Espanha), artista catalão circense, que aqui apresenta o seu espetáculo de bicicleta acrobática “Sobre Rodas”, e dos Irmãos Esferovite (Portugal), que trazem uma aventura musical e circense.

Nas artes plásticas, destaque para a abertura da exposição “Meus aCORdes” e realização simultânea de um laboratório de pintura mural, pela mão de Tutu Sousa (Cabo-Verde), um autodidata no domínio da pintura e escultura. No seu percurso artístico fazem parte exposições individuais e coletivas em Cabo Verde, vários países europeus e nos EUA, tendo efetuado dezenas de pinturas murais e decorativas.

O Festival Sete Sóis Sete Luas 2019 é promovido, nesta sua 27ª edição, por uma Rede Cultural de 30 cidades de 10 Países do Mediterrâneo e do mundo lusófono: Brasil, Cabo Verde, Croácia, Eslovénia, Espanha, França, Itália, Marrocos, Portugal, Tunísia.

Comentários

pub
pub