«Vale sempre a pena» participar no OP de Albufeira

Já são conhecidas as quatro propostas vencedoras do Orçamento Participativo de Albufeira

José Carlos Rolo acha que «vale sempre a pena» participar.  Lucélia Monteiro, António Colaço, Cidália Gonçalves, Maria de Jesus Vieira e Jorge Leal e os outros albufeirenses que já apresentaram propostas ao Orçamento Participativo de Albufeira acham o mesmo.

A Câmara de Albufeira dedicou a tarde de ontem ao Orçamento Participativo (OP). Além de apresentar os resultados da edição deste ano deste processo que dá à população o poder de escolher o destino de parte da verba do Orçamento Municipal, a autarquia aproveitou para inaugurar intervenções que venceram as anteriores edições da iniciativa.

Os projetos vencedores do OP Albufeira de 2020 são a instalação de fontes públicas na freguesia de Albufeira e Olhos de Água, a requalificação da zona envolvente ao Polidesportivo de Ferreiras, a requalificação da zona de merendas da Fonte da Guia e a criação de uma zona de lazer em Paderne.

O facto de serem quatro os projetos apoiados deve-se a uma novidade importante introduzida este ano. «Nas edições anteriores, o valor era para a globalidade do concelho. Este ano, decidimos aceder às reivindicações de algumas pessoas, incluindo os presidentes das Juntas, que gostavam que fosse experimentado um modelo de Orçamento Participativo em que o valor fosse dividido pelas freguesias, de modo a que todas tivessem a oportunidade de ter um projeto vencedor», explicou Ana Pífaro, vice-presidente da Câmara de Albufeira.

Ou seja, os 250 mil euros foram divididos pelas quatro freguesias do concelho, em partes iguais, de 62,5 mil euros para cada uma.

«Desta forma, a população de cada freguesia pode organizar-se e o processo fica mais próximo das pessoas. Pode ser até que, no futuro, isso motive a que haja mais participação», disse ao Sul Informação José Carlos Rolo, presidente da Câmara.

 

 

Para o edil albufeirense, seria importante que houvesse uma maior mobilização da população e que fossem mais as pessoas a aderir ao OP, já que «a participação cívica é sempre útil e muito importante».

«Há coisas de que o executivo não se lembra, que acabam por chegar através de outras pessoas e de uma forma agradável de participação. E há projetos que trazem alguma inovação», considerou José António Rolo.

«É de continuar. Podemos alterar algumas coisas, para tentar chamar as pessoas.  Daí o meu apelo a que as pessoas participem mais», acrescentou.

Quem já participou e teve a alegria de ver as suas propostas tornar-se realidade foram Isabel, António e Ana Maria.

Estes são os proponentes das obras do OP que foram ontem inauguradas, escolhidas nas edições de 2016 e de 2017.

Uma das intervenções, que venceu o OP de 2016 – a segunda edição, cuja votação decorreu em 2015 – foi a de requalificação do Polidesportivo da Guia, um investimento de 54,5 mil euros proposto por Ana Maria.

Aqui, foram criados sete postos onde podem ser instaladas bancas, durante os eventos que são promovidos neste campo desportivo. Também foi requalificado todo o espaço, nomeadamente as casas de banho.

 

 

As propostas que venceram o OP de 2017 também foram inauguradas ontem. Neste caso estão em causa os Parques Lúdicos de Vale Navio e da Falésia, uma obra de 53 mil proposta por Isabel Carvalho, e a requalificação da Estrada dos Salgados, uma obra sugerida por António Antunes e que custou 57 mil euros.

No primeiro caso, Isabel Carvalho propôs a requalificação dos dois espaços «para que as famílias pudessem ter um espaço de lazer e convívio. Não conhecia nenhum, tirando um que existe na Guia. Estes locais estavam meio ao abandono e a intervenção deu-lhes boa cara. É com agrado que vejo que as pessoas têm utilizado o espaço».

A intervenção consistiu na requalificação das mesas de piquenique já existentes nestes locais, bem como na instalação de grelhadores e de equipamento de fitness. As vedações também foram arranjadas. Os dois locais contam, também com tabelas que indicam o risco de incêndio.

«O que se tentou foi tornar mais adequada a utilização que o espaço tinha. Já existiam nestes locais parque de merendas informais. O que foi feito foi transformar essa informalidade em espaços com todas as condições. E têm sido muito utilizados»,  disse, por seu lado, Paula Custódio, engenheira e técnica superior da Câmara da Albufeira.

Já António Antunes propôs a requalificação da Estrada dos Salgados. Aqui, foi melhorada a iluminação pública, criados passeios de um lado e de outro da estrada e a instalação de passadeiras elevadas, que têm também a função de lombas.

«A Câmara implementou este projeto na tentativa de levar as pessoas a participar de forma ativa e democrática naquilo que são as escolhas que queremos para o nosso município», enquadrou Ana Pífaro.

Desde 2014, primeiro ano em que houve OP, tem vindo a crescer o valor que é colocado em Orçamento para este processo. Atualmente, e pela terceira vez consecutiva, a verba é de 250 mil euros. «Isso permitirá que, quando terminarem as obras das edições de 2018 e 2019, possamos ver intervenções de grande envergadura, um pouco diferentes daquilo que foi feito até aqui».

Ainda assim, avançaram obras bem emblemáticas, como é o caso do Centro de Bem-Estar Animal , «um projeto que, para além de ter sido o primeiro realizado no âmbito do OP, marcou uma mudança de paradigma naquilo que era o tratamento desta problemática».

Já José Carlos Rolo, admitiu que «a verba poderá ser reforçada e haver mais dinheiro para distribuir pelas quatro freguesias, se se justificar».

 

Fotos: Hugo Rodrigues|Sul Informação

Comentários

pub
pub