UAlg ajuda a medir impacto dos trilhos pedestres na economia

UAlg é um dos dez parceiros do projeto europeu “TrailGazersBid”

A Universidade do Algarve é um dos parceiros do projeto europeu “TrailGazersBid – An analytical & technical framework to measure returns from trail investment“, que permitirá perceber o impacto económico que determinadas infraestruturas, como percursos pedestres, têm no aumento do turismo em pequena comunidades rurais.

Segundo a Universidade do Algarve, o grande objetivo deste projeto é «avaliar os impactos socioeconómicos do investimento em infraestruturas que podem contribuir para o desenvolvimento sustentável de pequenas comunidades rurais, aumentando o número de turistas e protegendo, simultaneamente, o património natural e cultural que o visitante irá desfrutar».

Na UAlg trabalho está a ser desenvolvido pela equipa liderada pelo investigador Thomas Panagopoulos, do Centro de Investigação em Turismo, Sustentabilidade e Bem-estar (CinTurs) da UAlg,  uma das entidades participantes no projeto, que junta dez parceiros de diferentes regiões da Irlanda, Reino Unido, Espanha, Portugal e França.

Este projeto internacional surge no seguimento do «crescimento significativo» do turismo de experiência, em que o visitante procura atividades em lugares vistos como sendo fora do comum «em vez de destinos de férias convencionais ou populares». Para muitos, «viajar significa, agora, apreciar o modo de vida que estes lugares escondidos podem oferecer, aprender sobre a história local, paisagens culturais e naturais e embarcar em viagens de autodescoberta que permanecerão na memória durante muito tempo após o fim das férias».

«Esta tendência registou um aumento no número de turistas que apreciam os percursos pedestres que as diferentes regiões da área atlântica podem oferecer. Um grande número de comunidades locais estão também a utilizar estas comodidades para melhorar o seu bem-estar físico e mental, reunirem-se com amigos ou simplesmente desfrutar de tudo o que a vida ao ar livre pode oferecer. O crescimento das atividades de caminhada e lazer na natureza têm um enorme potencial para gerar rendimentos para as zonas rurais, ajudar a criar mais emprego nos sectores hoteleiro e de lazer, reforçando simultaneamente a atratividade das regiões de baixa densidade como locais para viver, trabalhar e prosperar», segundo a UAlg.

O “TrailGazersBid” é, segundo a academia algarvia, uma excelente oportunidade de colaboração com os intervenientes locais e regionais, que poderão «desenvolver novos negócios para incentivar os turistas a visitar lugares fora do comum e a explorar o que o interior tem para oferecer, como lojas de artesanato, gastronomia regional, locais de interesse histórico, ambiental, etc. O projeto possibilitará ainda a realização de planos de gestão de destinos turísticos sustentáveis para proteger as áreas naturais e culturais que o turista visita».

Comentários

pub
pub