Reconstituição histórica e novo palco marcam o Festival da Sardinha

A Câmara de Portimão introduziu novidades e apostou forte no cartaz musical do certame

Uma reconstituição histórica da descarga da sardinha, como era feita «há largas décadas», bem como a mudança da localização do palco são as grandes novidades do Festival da Sardinha de Portimão, que vai decorrer de 7 a 11 de Agosto na zona ribeirinha desta cidade.

No ano em que atinge o número redondo de 25 edições, a Câmara de Portimão, que organiza o evento, também irá apostar forte no cartaz musical, que irá contra com Amor Electro (dia 7), Bárbara Bandeira (8), Marco Rodrigues (9), C4 Pedro (10) e Expensive Soul (11).

Apesar do festival propriamente dito só começar no dia 7, a festa é lançada no dia 6 e logo com uma iniciativa inédita. Grupos de teatro locais, em conjunto com o Museu de Portimão, vão recordar como era feita a descarga da sardinha em Portimão em anos idos, numa viagem ao passado onde não faltarão trajes, dizeres e os meios de transporte da época.

Neste dia, será promovida uma «mega sardinhada popular, integrada num programa “Festa da Sardinha” que será dinamizado com a RTP1, e transmitido em direto de Portimão a partir das 10h00», segundo a Câmara de Portimão.

 

 

Também há novidades ao nível do palco, que transitará para uma zona próxima do Clube Naval de Portimão, «de forma a solucionar alguns condicionamentos de espaço que se verificaram em anteriores edições».

Neste local, além de se poder assistir aos concertos,  será possível comer sardinha no prato e no pão, outra novidade. Para isso, serão instalados quatro pontos de venda que serão dinamizados pelas associações locais Boa Esperança Atlético Clube, Clube União Portimonense, Gejupce e Grupo Desportivo e Recreativo Alvorense.

As sardinhas que dão nome ao festival, mas também os seus fiéis companheiros, a batata cozida e a salada à algarvia, podem ser consumidos num dos sete restaurantes parceiros do festival: À Ravessa, Casa Bica, Dona Barca, Forte e Feio, O Meco, Retiro do Peixe Assado, Ú Venâncio e Zizá.

«Todos os estabelecimentos exibirão nas respetivas entradas a insígnia “Aqui há Sardinha!”, disponibilizando mais de dois mil lugares sentados para degustar este ex-libris portimonense», segundo a autarquia.

Além das sardinhas e da música, os visitantes podem contar com bancas de produtos variados, desde artesanato a doçaria, que se espalharão por toda a frente de rio da cidade, entre o Museu de Portimão e a zona entre pontes.

Haverá, igualmente, «muita animação de rua e música a cargo de bandas e artistas da terra, em quatro locais distintos – no palco sardinha, em plena zona de restauração do recinto do festival, a anteceder os concertos no palco principal, no coreto da Praça Manuel Teixeira Gomes, no Jardim 1º de Dezembro e no “Petinga Park”, junto à antiga lota, onde os mais pequenos poderão desfrutar a título gratuito de insufláveis e diversas atividades lúdicas».

A roda gigante instalada na zona ribeirinha é outra das atrações.

Comentários

pub
pub