Loulé cria Bolsa de Voluntariado Ambiental

Pretende-se constituir um banco de voluntários de todas as idades

O Município de Loulé criou uma Bolsa de Voluntariado Ambiental que quer «envolver toda a sociedade civil». 

Em consonância com uma das ações previstas na candidatura “Loulé Adapta: +Educação para a Sustentabilidade do uso da Água”, comparticipada pelo Fundo Ambiental, a Câmara Municipal realizou recentemente a formação e promoção do voluntariado através da criação de uma Bolsa de Voluntariado Ambiental.

Pretende-se, assim, constituir um banco de voluntários de todas as idades, direcionados para as ações levadas a cabo pela Autarquia (ou por outras entidades) na área do ambiente, sendo que, neste primeiro momento, o enfoque será dado às iniciativas ligadas à promoção do uso eficiente dos recursos hídricos.

A ideia é que todos os voluntários participem ativamente na missão do Município de contribuir para a mudança positiva da gestão sustentável dos recursos naturais.

Através da criação desta Bolsa de Voluntariado Ambiental, a Câmara Municipal quer envolver toda a sociedade civil do concelho «na proteção dos valores ambientais e do seu património ambiental, enaltecendo, ao mesmo tempo, os nobres princípios do voluntariado».

A distribuição de brochuras sobre a temática, o apoio à dinamização do Centro Ambiental, a realização de ações de divulgação porta a porta e, ainda, a participação na qualidade de orador em palestras/eventos de divulgação são algumas das tarefas que estes voluntários irão ter.

Neste momento, a Bolsa conta com a presença de 11 voluntários os quais vão levar a cabo as ações de sensibilização durante o mês de Julho (a partir do dia 16) e Agosto, apoiando na dinamização do Centro Ambiental de Loulé no período das férias de verão.

Numa parceria com a Associação Almargem, irão apoiar a dinamização da ação “Colhemos o que semeamos!”, que arrancou no dia 9 de julho, com o intuito de sensibilizar os mais jovens para uma visão mais holística do mundo e de como cada ação pode ter uma reação muito negativa (ou positiva) para o equilíbrio ambiental.

A «participação nestas iniciativas ligadas aos valores ambientais e às alterações climáticas pretende, também, que os participantes tenham a oportunidade de aprender um pouco mais sobre todas estas questões de forma a adotarem uma atitude mais sustentável», diz a autarquia.

A Bolsa de Voluntariado Ambiental nasce de uma iniciativa da Divisão de Sustentabilidade e Recursos Naturais, Divisão de Ambiente (Centro Ambiental), Unidade Operacional de Ação Climática e Economia Circular, Departamento de Desenvolvimento Social e Saúde, Divisão de Coesão e Inovação Social, Unidade Operacional de Promoção da Saúde, Divisão de Educação, da Juventude e Projetos e Associação Almargem.

«Estamos absolutamente convictos de que, para garantir um futuro sustentável, é necessário o envolvimento de todos e, nesse sentido, queremos aliar essa necessidade de responder à emergência climática em que vivemos à temática do voluntariado, cujos benefícios pessoais e institucionais são já amplamente conhecidos», sublinham os responsáveis municipais.

Comentários

pub
pub