Castro Verde assinala 880 anos da Batalha de Ourique com cerimónia militar

Batalha a partir da qual D. Afonso Henriques se assumiu como “rei dos portugueses” foi há 880 anos

A Câmara de Castro Verde vai celebrar os 880 anos da Batalha de Ourique no dia 25 de Julho, com um programa que inclui uma parada militar, a deposição de flores em homenagem aos mortos em combate e uma missa campal.

Na Batalha de Ourique, disputada em 1139, as tropas comandadas por D. Afonso Henriques defrontaram e derrotaram um exército muçulmano, geralmente descrito nas fontes históricas como sendo de dimensão consideravelmente maior – apesar de haver poucas certezas sobre a contenda.

Certo é que esta é das batalhas mais importantes na história de Portugal, pela importância que teve na emancipação de Portugal enquanto nação independente, já que D. Afonso Henriques terá sido aclamado Rei no campo de batalha, na sequência da vitória que conseguiu, passando a partir daí a usar o título de “rei dos portugueses”.

Em Castro Verde, que, segundo a Câmara, é «o local histórico da Batalha de Ourique”, as comemorações começam às 9h00, na Praça do Município (jardim do Padrão), com a receção, «com honras militares, da secretária de Estado da Defesa Nacional e restantes autoridades civis e militares», entre as quais se inclui D. Rui Valério, Bispo das Forças Armadas, D. Rui Valério, que «voltará a Castro Verde, onde foi pároco durante vários anos», segundo a autarquia.

Segue-se a romagem ao padrão e a cerimónia militar, no sítio de S. Pedro das Cabeças, «onde decorrerá o hastear da Bandeira Nacional, a deposição de flores e a homenagem aos mortos em combate».

O programa conta, ainda, com uma missa campal, às 10h45, no largo da Feira, e com o Juramento de Bandeira do 6º Turno de 2019 da Brigada de Reação Rápida (BrigRR), numa cerimónia que juntará cerca de 60 militares do Regimento de Infantaria nº 1 de Beja.

«As comemorações do 880º aniversário da Batalha de Ourique representam para Castro Verde um momento de grande afirmação e orgulho da sua história e, por outro lado, a afirmação marcante da nossa identidade. Neste contexto, as celebrações que se promovem são um convite público para que toda a população homenageie na rua o momento decisivo que, no dia 25 de julho de 1139, no nosso concelho, determinou a consagração de Afonso Henriques como primeiro rei de Portugal», concluiu a Câmara de Castro Verde.

Comentários

pub
pub