BE diz que «a bomba rebentou» na Ambifaro e quer apuramento de responsabilidades

Para os bloquistas, cabe à justiça «ir ao fundo das questões»

O Bloco de Esquerda de Faro quer o apuramento de responsabilidades no processo da empresa municipal Ambifaro e diz que «cabe à justiça ir ao fundo das questões e apurar responsabilidades, se as houver».

Depois das buscas na Câmara de Faro e da constituição de quatro arguidos no âmbito da operação “Mercado Aberto”, entre eles Paulo Santos, vice-presidente da Câmara, e Sandra Ramos, líder da Ambifaro, os bloquistas dizem que «a “bomba” rebentou!».

O Bloco de Esquerda lembra que o partido «sempre fez parte do conjunto daqueles que questionaram a gestão daquela empresa. As notícias vindas a lume acerca da gestão danosa da Ambifaro parecem dar razão às nossas apreensões».

Na nota enviada às redações, o BE também critica a passagem da gestão dos parquímetros para a esfera da Ambifaro, uma vez que «o Bloco de Esquerda, tal como
outros, defendeu que a exploração dos parquímetros deveria ser entregue ao município e não a uma empresa que já tinha revelado, à exaustão, falta de condições para gerir a coisa pública».

«A necessidade de se conhecer a realidade financeira da Ambifaro fez com que PS, CDU e BE votassem contra a proposta, a qual teria sido chumbada, não fosse um membro do PS ter optado por fazer o jeito à direita, a fazer lembrar o deputado “limiano” de má memória», conclui o Bloco de Esquerda.

Comentários

pub
pub