Baterias «extremamente poluentes» retiradas do fundo da Ria Formosa

Polícia Marítima apreendeu as baterias que estavam perto do Cais de Embarque da Culatra

Três baterias de grande porte que foram abandonadas na Ria Formosa, perto do cais de embarque da Ilha da Culatra, foram removidas, no âmbito da campanha “Campaign for a Plastic Free Ria Formosa”.

Segundo a Associação para o Estudo e Conservação dos Oceanos (aECO), que promove a campanha, com o apoio da European Outdoor Conservation Association (EOCA), as baterias, que terão sido «abandonadas por um indivíduo alemão», são materiais «extremamente poluentes» e «já haviam sido sinalizadas há algum tempo, quer pela Polícia Marítima, quer pelos próprios pescadores».

Na ação de resgate, que durou mais de duas horas, «foi emocionante ver a Polícia Marítima, os mergulhadores da Universidade do Algarve e os pescadores a trabalhar em conjunto para resolver esta situação gravíssima», realça Sandra Godinho, responsável pelo projeto da aECO.

Na retirada das baterias, além da UAlg e da Capitania do Porto de Olhão, colaborou também a Associação de Moradores e Amigos da Ilha da Culatra.

Segundo a aECO, «a intervenção da Polícia Marítima foi fundamental para o sucesso desta ação que, após a apreensão dos materiais, poderá proceder às diligências necessárias para identificar o autor deste crime ambiental, e encaminhá-los para o respetivo sistema de gestão de resíduos».

A aECO vai prosseguir com as atividades de limpeza durante todo o mês de Julho na ilha da Culatra e está, neste momento, a solicitar voluntários para uma ação a decorrer no dia 21 de Julho.

A associação pretende unir a população local com os grupos de escoteiros Belgas que anualmente colaboram nestas ações, para ajudar a limpar a zona do porto de abrigo, no âmbito das comemorações do Dia da Ilha da Culatra.

As inscrições podem ser feitas através do endereço geral.aeco@gmail.com ou a-eco@a-eco.org.

Comentários

pub