Turismo gastronómico sustentável foi tema de fórum na UAlg

Fórum juntou entidades dos setores público e privado

A Universidade do Algarve acolheu o Fórum do Turismo Gastronómico Sustentável, uma iniciativa que juntou 22 participantes dos setores público e privado do Algarve.

Esta foi uma oportunidade para as forças vivas da região discutirem «estratégias para o futuro do turismo gastronómico da região e debateram possíveis consensos para a definição de Turismo Gastronómico Sustentável (TGS)», à luz Medfest, programa europeu que agrupa oito países do Mediterrâneo em torno do território comum da Dieta Mediterrânica .

Começou por definir-se o conceito de experiência de turismo gastronómica sustentável, «assente no uso dos recursos do território, na produção e no consumo de produtos locais; nos saberes e práticas de uso dos alimentos que valorizam a ação intergeracional de salvaguarda e promotora da cultura da região».

«Uma experiência gastronómica de turismo sustentável deve despertar os cinco sentidos. A envolvência da experiência em si deve ser integrada e multidimensional, uma imersão ativa do próprio turista, do ponto de vista social, económica e ambientalmente sustentável», sintetizou Artur Gregório, presidente da direcção da Associação In Loco e coordenador do projecto Medfest em Portugal.

Mas a principal questão que andou no ar foi “Que modelo de Turismo Gastronómico Sustentável queremos para Portugal em 2030?”.

No fórum, foram debatidas estratégias para atingir este fim e a possibilidade de aprofundar a cooperação entre os setores público e privado.

«A ideia é atrair para Portugal e para o Algarve turistas mais conscientes e um público mais desperto para um turismo consciente e sustentável. Para isso, concluiu-se ser necessário rever a capacidade turística do Algarve, diminuir e controlar o turismo de massa, dotar de certificação as empresas que prestam serviços na áre, gerar maior envolvimento e sensibilização das comunidades e atores locais, oferecer maior diversificação nas ofertas turísticas, levando em consideração os recursos consoante a época do ano, criar redes de apoios aos pequenos produtores para escoamento e venda e preservar e conservar a paisagem local», concluíram os organizadores do Fórum.

A iniciativa que teve lugar na UAlg foi «mais um passo no programa de intervenção do Medfest, um projecto de três anos (2017-2019), inserido no programa de cooperação Interreg-Med, que une oito países do Mediterrâneo na valorização do Turismo Gastronómico Sustentável  e que culminará, a 5 de Setembro, com uma Conferência Internacional sobre Turismo Gastronómico Sustentável, que irá decorrer na Pousada de Tavira».

Comentários

pub
pub