Messines e Silves, do Liberalismo à República, são tema do novo livro de Aurélio Cabrita

Professora Maria João Raminhos Duarte vai apresentar a obra em Messines

«São Bartolomeu de Messines e o Concelho de Silves – dos alvores do Liberalismo ao 5 de Outubro de 1910» é o título do novo livro do investigador Aurélio Nuno Cabrita, que será lançado no próximo dia 29 de Junho, sábado, às 16h00, no auditório da Caixa Agrícola de São Bartolomeu de Messines.

O livro, de 498 páginas, editado pela Colibri, será apresentado pela professora Maria João Raminhos Duarte. A obra resulta da investigação feita para a tese de mestrado de Aurélio Cabrita, que, apesar de ser engenheiro de Ambiente na Câmara Municipal de Odemira, há muito se dedica a investigar a história contemporânea do Algarve.

«O livro constitui a publicação da minha tese, entretanto reformulada na sequência de novos documentos que encontrei. O meu objetivo inicial era chegar até ao 25 de Abril, mas a informação recolhida até à Proclamação da República suplantou as expetativas e foi impossível abordar um período tão dilatado», explicou Aurélio Cabrita ao Sul Informação.

«A escolha do hiato temporal prendeu-se pela familiaridade dos temas abordados: tenho explorado sempre a história contemporânea, ainda assim encontrei algumas dificuldades nas Invasões Francesas, e principalmente na conturbada década de 1820. Já tinha muita informação acerca de Remexido, mas isso é só depois de 1832… Obstáculos que espero ter superado», explicou ao nosso jornal.

Aldeia singular, eixo de acessibilidades à região, São Bartolomeu de Messines conheceu, ao longo do século XIX, a agitação das revoluções, participando ativamente nos momentos decisivos da História de Portugal.

Os nomes de Remexido e de João de Deus erguem-se mais alto na história da freguesia, projetando-a além-fronteiras, mas no livro são também lembrados outros homens e mulheres que, no dia-a-dia, edificaram a história e o futuro coletivos através do poder fecundo da vontade e da persistência. É para uma caminhada no tempo, que nos alcança e desafia, que o autor convida o leitor. Para o efeito, recorreu a uma metódica consulta de vários fundos arquivísticos, apresentando diversos conteúdos inéditos, que fazem da obra um trabalho de leitura obrigatória para a redação da história do Algarve.

Publicado com a chancela das Edições Colibri, o livro contou com os patrocínios do Município de Silves, Freguesia de São Bartolomeu de Messines, Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de S. B. Messines e São Marcos da Serra, da Direção Regional da Cultura do Algarve e Papelaria da Vila, e ficará disponível nas principais livrarias do país.

Além de ser autor de outros três livros, Aurélio Nuno Cabrita é colaborador regular do Sul Informação e do jornal Terra Ruiva, de Messines, onde publica sobretudo artigos sobre episódios e figuras da história algarvia.

O seu primeiro livro, intitulado «A proclamação da República no Algarve», foi publicado em 2010. Quatro anos depois, em 2014, o autor editou duas obras: o livro «A Igreja Matriz de S. Bartolomeu de Messines» e o opúsculo «O comboio no Algarve: festejos e inaugurações».

Comentários

pub
pub