“Mercadium” celebra 500 anos do edifício do Museu de Faro

Museu Municipal de Faro e a zona envolvente vão acolher mercadinho ao longo de três dias

Foto: Fabiana Saboya

Os 500 anos do antigo convento de Nossa Senhora da Assunção, o edifício que é hoje o Museu Municipal de Faro, vão ser celebrados com um mercadinho, que começa hoje às 17h00 e dura até domingo.

Durante três dias, «o antigo convento, o quintalão do museu, o Largo Afonso III e as ruas do castelo e do repouso vão estar animados com artesanato, música, desenho digital na fachada do museu e atividades para os mais jovens».

Com a realização do evento “Mercadium”, que tem entrada livre, a Câmara de Faro quer «recuperar o ambiente urbano, social e económico de Faro na época quinhentista, com referências ao passado e também aos tempos da atualidade».

Hoje, sexta-feira, a festa começa às 17h00 e dura até às 00h00. Amanhã e domingo, as atividades terão início às 12h00 e terminarão igualmente à meia-noite.

«O programa estende-se às famílias, pois irá haver atividades infantis e juvenis com um carrossel em madeira e uma zona infantil para ocupação dos mais novos. Conta ainda com a participação da restauração da Vila Adentro, com a confeção de menus especiais dedicados à efeméride», segundo a autarquia farense.

 

Sobre o antigo convento de Nossa Senhora da Assunção

O antigo convento de Nossa Senhora da Assunção é um dos postais da arquitetura histórica da cidade velha de Faro. Este edifício, classificado como Monumento Nacional, tem a sua principal atração no claustro, não só pela beleza estética, mas também pelo facto de ter sido um dos primeiros exemplares protorenascentistas em Portugal.

A sua origem data do século XVI, mais precisamente ao ano de 1519, e deve-se a 2 freiras de Beja que decidiram instalar neste local uma comunidade de clarissas, contando para esse efeito com o alto patrocínio régio de D. Leonor e D. Catarina. O convento seria concluído por volta de 1550, dispondo das instalações e serviços necessários para os bons ofícios religiosos. Não faltavam capela, dormitórios, biblioteca e casa da madre.

Seria assim até ao século XIX, altura em que o convento dá lugar a uma fábrica de cortiça, alterando o espaço e os seus usos. No século seguinte, na década de 60, tornava-se morada da biblioteca e do museu municipal. Hoje, o antigo convento é um equipamento cultural e museológico prestigiado, com cerca de 35.000 visitantes anuais, que aposta forte na participação da comunidade com intuito de motivar os munícipes e os turistas que visitam Faro a sentir a rica cultura da cidade.

Comentários

pub
pub