Marrocos é o país convidado da Bienal Ibérica de Património Cultural em Loulé

Iniciativa realiza-se de 11 a 13 de Outubro, em Loulé

Marrocos é o país convidado da Bienal Ibérica de Património Cultural que se realiza de 11 a 13 de Outubro, em Loulé. 

Para esta decisão, segundo a autarquia, Othmane Bahnini, embaixador de Marrocos em Portugal, teve um «papel decisivo».

Neste sentido, no início do ano, Vítor Aleixo, presidente da Câmara de Loulé, teve uma reunião com o embaixador para formular o convite oficial para aquele país ser o convidado da Bienal Ibérica do Património Cultural 2019.

Agora, o autarca louletano foi a Rabat, capital de Marrocos, acompanhado da diretora municipal Dália Paulo e de Catarina Valença Gonçalves, diretora da Bienal, para uma série de reuniões bilaterais com os responsáveis da representação de Marrocos.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros de Marrocos coordenará a representação na Bienal em Loulé, que será igualmente composta pelo Ministérios da Cultura e do Turismo e do Artesanato.

«Assim, num intenso dia e manhã de trabalho, a comitiva portuguesa teve oportunidade de se reunir com a diretora da Cooperação e da Ação Culturais do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Marrocos, com o diretor financeiro do Ministério do Turismo, com o diretor de Prospeção da Maison de l’Artisan (Casa do Artesão) e ainda com o diretor do Instituto Nacional de Ciências Arqueológicas e do Património», conta a Câmara de Loulé.

Foi ainda possível colocar Rita Ferro, embaixadora portuguesa em Marrocos, acompanhada do representante da AICEP em Rabat, Rui Cordovil, e do conselheiro cultural Vítor Marcelino, a par dos acordos alcançados relativamente ao formato exato dessa presença de Marrocos neste evento de referência.

 

 

O país vai estar representado num espaço físico, com demonstração ao vivo de artes e ofícios tradicionais selecionados, tendo em consideração as tradições ainda existentes ou importantes de recuperar no Sul português – espaço onde a música e a gastronomia marcarão igualmente presença.

Mas, sobretudo, estará presente ao nível institucional e técnico, tanto na forma dos representantes dos Ministérios referidos, como através de especialistas que virão apresentar o estado da arte da intervenção em património cultural em Marrocos – ao nível da investigação, da gestão patrimonial, das artes e ofícios e do turismo-cultural – na forma de seminários, workshops e reuniões bilaterais.

«É, pois, com imensa satisfação que Loulé receberá esta representação marroquina do campo do património cultural, absolutamente inédita em Portugal na sua transversalidade, e que visa estimular as naturais relações entre os dois países neste fundamental campo do património cultural», refere a autarquia.

Vítor Aleixo, autarca de Loulé, sublinha a importância destes encontros. «As reuniões com as entidades marroquinas foram bastante positivas e começaram a delinear-se possíveis parcerias para depois da Bienal, no âmbito do património cultural, um repto já lançado por Cláudio Torres e que agora pode ser concretizado», disse.

A Bienal Ibérica é o único certame europeu da área de património cultural que resulta de uma fusão entre eventos de dois países distintos, criando um certame à escala ibérica e com projeção europeia. Desde final de 2018 que a Bienal está integrada na HERIFAIRS – rede europeia de feiras do património, que conta também com a participação de Itália, Áustria e Espanha.

A edição de 2019 é um projeto da Spira – Agência de Revitalização Patrimonial e tem a Câmara Municipal de Loulé como entidade promotora.

Para inscrições e mais informação, clique aqui.

 

 

Comentários

pub
pub