Loulé tem café que vai à serra, casulo que abraça e academia que acolhe pela arte

Projetos têm financiamento do programa Portugal Inovação Social

Um café terapêutico itinerante, que vai ao interior do concelho de Loulé para combater o isolamento e a solidão dos mais velhos, um Casulo que quer acolher ideias inovadoras e uma Academia que, através da arte, ajuda à inclusão de jovens. Estes são três dos projetos fora da caixa, inaugurados esta terça-feira, 25 de Junho, em Loulé, no âmbito do programa “Portugal Inovação Social”. 

No fundo, estes são projetos inovadores que «respondem às necessidades das populações», como referiu Maria do Céu Albuquerque, secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, que esteve em Loulé para as inaugurações.

Tudo começou no Convento Espírito Santo (antigo INUAF) na nova sala da Casulo: uma incubadora de inovação social à escala regional.

Ou seja, apesar de estar sediada em Loulé, a Casulo pode receber projetos de todo o Algarve.

 

 

A única premissa é que promovam a inclusão social, a coesão territorial, o empreendedorismo jovem e a sustentabilidade social.

Este Casulo, «que acolhe e abraça», é um projeto promovido pela Associação António Aleixo e que também tem como objetivo a fixação de emprego jovem.

Quanto ao Café Interior, assume-se como uma resposta social inovadora a um problema tão antigo: o isolamento dos idosos.

Numa carrinha, uma equipa multidisciplinar da Cruz Vermelha Portuguesa já está a visitar as freguesias de Alte, Benafim, Querença, Salir e Tôr, onde apresenta menus…terapêuticos.

 

 

Há o Prato de Dieta (que quer promover um estilo de vida saudável), o Buffet (Atividades artísticas e lúdicas), o Pedido à La Carte (reflexão sobre as histórias de vida) e até uma Rodada de História que quer proporcionar acesso a novas experiências culturais.

A ideia é, com estas metáforas, proporcionar a quem mais precisa uma resposta social de proximidade que incorpora várias vertentes: a parte física, mas também a própria estimulação cognitiva.

Quanto à Academia IluminArte, inaugurada numa loja em frente à Câmara de Loulé, é um projeto da Associação Satori.

A ideia é continuar «o trabalho social pela arte» já feito, como explicou Fernando Cabral.

A missão passa por promover a participação ativa, na vida comunitária, de jovens em risco de exclusão social, através da educação e inclusão pela arte.

 

 

Nesta academia, que vai ter três cursos (arte urbana, teatro e artes circenses) o calendário não será o escolar, estando prevista, ainda, a realização de workshops ou ateliers que respondam a necessidades da comunidade. As inscrições já estão abertas.

Vítor Aleixo, presidente da Câmara de Loulé, disse, na apresentação destes três projetos, que estas são «ideias consistentes com respostas a problemas sociais».

«Os problemas continuam a existir e temos de encontrar novas repostas para eles», acrescentou o autarca louletano.

Já a secretária de Estado Maria do Céu Albuquerque considerou que a inauguração destas três iniciativas foi «um dia importante para Loulé, para o Algarve e para Portugal».

Estes projetos fazem parte de um total de 9 que foram aprovados, na região, no âmbito do Portugal Inovação Social, programa que já abriu dois concursos de candidaturas.

 

Fotos: Rodrigo Damasceno | Sul Informação

 

Comentários

pub
pub