Lavrar o Mar lança livro com os textos do projeto «Medronho»

Livro é editado pelo Município de Monchique

O livro que reúne os textos de Afonso Cruz e Sandro William Junqueira, escritos de propósito para o projeto «Medronho», ciclo de teatro no alto da serra de Monchique e nas destilarias, que se tornou uma das assinaturas da programação cultural «Lavrar o Mar», vai ser lançado no dia 21 de Junho, às 19 horas, no Monte da Lameira, na freguesia de Alferce, com entrada livre.

«Desde há três anos, os textos escritos por Sandro William Junqueira e Afonso Cruz, dois dos mais conceituados escritores portugueses contemporâneos, com a encenação de Giacomo Scalisi e interpretação de magníficos actores/actrizes, deram corpo e voz a esta cultura cheia de enigmas e singularidades, verdadeiramente incontornável quando se pensa no património da serra de Monchique», recordam os promotores do projeto.

«Foram 3 ciclos, 30 dias de espetáculo, 9 atores, 8 destilarias, 2 pólos diferentes da serra: Alferce e Marmelete e 1 grande incêndio pelo meio, a par de cerca de 9000 mosquitinhos de Medronho bebidos a preceito».

«A colheita destas iniciativas fermentou e chega agora a um momento de destilação», da qual resulta este livro bilingue. Nele constam todos os textos levados à cena, na versão portuguesa e inglesa, para que, assim, «aqueles que não puderam acompanhar a trama na íntegra, possam agora reviver as memórias ou re-significar a experiência».

«Quem não acompanhou o projeto anteriormente, poderá mergulhar no livro e nas fotografias dos espetáculos e recriar este imaginário tão particular, à sua própria medida. Na medida de um copo de medronho sempre por perto».

A edição do livro é do Município de Monchique, tendo o seu design ficado a cargo da empresa «1000olhos – Imagem e Comunicação». Os textos são, como já se disse de Afonso Cruz e Sandro William Junqueira, enquanto as fotos dos espetáculos são de João Mariano.

O «Lavrar o Mar» é um projeto integrado no 365 Algarve, programa financiado pelas secretarias de Estado da Cultura e do Turismo (com Turismo de Portugal e Região de Turismo do Algarve), e co-financiado por CRESC Algarve 2020 e pela Direção Geral das Artes do Ministério da Cultura, bem como pelos Municípios de Aljezur e de Monchique.

 

«Este é um livro que pinga o místico elixir de cada página.
Este é um livro que presta homenagem a esta cultura, saber-fazer e às gentes da serra.
Este é um livro que reafirma a aproximação da contemporaneidade às raízes (e aos frutos) da tradição.
Este é um livro para passar de mão-em-mão, entre brindes e celebrações, pelo que vai e pelo que vem.
Este é um livro que, ao abrir-se, derruba a quarta parede.
Este é um livro que carrega o drama, o amor, a dureza, a sensibilidade, o genuíno.
Este é, por fim, um livro que testemunha um percurso em conjunto, cheio de peripécias, no tempo da serra.
Para partilhar e ler sem moderação».

 

Comentários

pub
pub