Forças Armadas ajudam a prevenir incêndios no Algarve e Baixo Alentejo

Haverá patrulhas do Exército e da Marinha no terreno em sete distritos de Portugal Continental

21 patrulhas das Forças Armadas estão a partir de hoje e até segunda-feira no terreno para ajudar na deteção e prevenção de incêndios em sete distritos de Portugal Continental, incluindo os de Faro e de Beja.

O apoio está a ser dado na sequência de um pedido feito pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), «face à previsão anunciada de subida acentuada das temperaturas durante estes dias», segundo o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA).

Ao todo, estão envolvidos nestas ações de vigilância terrestre e patrulhamento dissuasor 84 militares, 60 do Exército e 24 da Marinha, que compõem as patrulhas destes dois ramos das Forças Armadas enviadas para o terreno, 15 do Exército e 6 da Marinha.

Até segunda-feira, a base aérea nº 11, em Beja, também prestará apoio logístico para acolher duas aeronaves anfíbias médias Fire Boss, pertencentes ao Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais.

Este reforço de militares visa «incrementar as ações de prevenção um pouco por todo o país, com especial incidência nos distritos de Beja, Bragança, Évora, Faro, Guarda, Portalegre e Setúbal».

«Nesta fase, os militares das Forças Armadas irão ser empenhados em operações de vigilância terrestre e, em caso de necessidade, poderão ser empenhados em ações de pós rescaldo, ou de apoio geral às operações de proteção e socorro que possam vir a ser desencadeadas», acrescentou o EMGFA.

Comentários

pub
pub