É preciso um coordenador e quatro auxiliares para garantir as férias inclusivas em Aljezur

Projeto FICA precisa de gente para arrancar em Aljezur

O projeto FICA – Férias Inclusivas para a Comunidade Algarvia vai este Verão chegar a Aljezur, de 24 de Junho a 9 de Agosto, mas para isso é preciso encontrar um coordenador e três ou quatro auxiliares.

Maria Nobre de Carvalho, dirigente da associação Teia d’Impulsos, que promove o projeto FICA em Portimão e agora também em Aljezur, disse ao Sul Informação que «a ideia é que estes dez miúdos com deficiência acompanhem o programa normal de férias organizado pela Câmara de Aljezur (com pequenas modificações, quando necessário) – e esse já está definido. Agora só precisamos de apoio no terreno, com um coordenador e auxiliares».

«Precisamos de um coordenador no terreno, de preferência uma pessoa com formação na área da saúde ou terapia ocupacional, mas o mais importante é que esteja habituado a trabalhar com pessoas com deficiência. O programa já está todo definido do nosso lado e terá o apoio da nossa equipa e da nossa terapeuta ocupacional, portanto precisamos de alguém que coordene no terreno durante as seis semanas. Pagamos 1500 euros pelas seis semanas de trabalho, mais alimentação e deslocações. Precisamos também de três ou quatro auxiliares, que atuem como monitores, para assistir com a alimentação e higiene dos miúdos. É um trabalho puxado, das 9 às 17h30. Pagamos 900 euros pelas seis semanas, mais deslocações e alimentação».

A Câmara de Aljezur «organiza as férias para os miúdos da escola e tem o programa já organizado. Este ano, a autarquia também quer incluir os 10 miúdos com deficiência nas atividades normais de férias e pediram-nos para assumir isso,  com o FICA», acrescentou Maria Nobre de Carvalho.

O FICA começou no Verão passado, com 16 jovens com multideficiência de Portimão. Ao longo de dois intensos meses, o grupo pôde dançar, fazer ioga e meditação, experimentar a cerâmica, fazer vela, ir ao cabeleireiro, andar na passerelle, visitar a Quinta Pedagógica, cozinhar, fazer expressão plástica, psicomotora e dramática.

«Eles tiveram férias, alguns pela primeira vez em muitos anos, e os seus cuidadores também», resumiu Cândida Pereira, da associação Teia d’Impulsos. Agora, o FICA vai também chegar a Aljezur…mas, para isso, é necessário encontrar as pessoas certas para garantir o trabalho no terreno.

Comentários

pub
pub