Bloco de Esquerda quer meios de diagnóstico do cancro reforçados no Algarve

Delegação do Bloco de Esquerda visitou Associação Oncológica do Algarve e reuniu-se com Sindicato da Hotelaria

Foto de Arquivo

O Bloco de Esquerda quer que o Algarve tenha mais meios para detetar o cancro de forma mais precoce para que a mortalidade causada pela doença diminua na região.

Uma delegação dos bloquistas, que incluiu João Vasconcelos, deputado eleito pelo Algarve, visitou, esta segunda-feira, a Associação Oncológica do Algarve, «tendo recebido informações importantíssimas sobre a prevenção e combate ao cancro no Algarve, assim como as insuficiências ainda existentes na região».

Em nota enviada às redações, os bloquistas defendem «a necessidade de se avançar, com urgência, para a instalação no Algarve de meios que determinarão de forma mais precoce a doença» e pretendem «uma maior qualidade no serviço prestado através da criação do alojamento local temporário».

Segundo o Bloco, estas «são carências em que o SNS precisa de dar a resposta adequada».

O Bloco de Esquerda também esteve reunido com o Sindicato da Hotelaria do Algarve, «tendo obtido informação da realidade no setor quanto ao condicionamento nos direitos laborais e bloqueio nas negociações da contratação coletiva, assim como os elevados níveis de precariedade existentes e a insuficiência de fiscalização existente».

Segundo os bloquistas, o Sindicato da Hotelaria considera que a legislação laboral que o Governo pretende aprovar «não irá trazer melhorias aos trabalhadores».

Comentários

pub
pub