Três mil pessoas viajaram por um “mar” de cultura nos Lugares de Globalização

Evento chegou a Aljezur, Lagos, Monchique, Silves e Vila do Bispo

Cerca de três milhares de pessoas desfrutaram do programa da Semana Cultural Lugares de Globalização, que terminou no dia 19 e levou iniciativas a Aljezur, Lagos, Monchique, Silves e Vila do Bispo.

Esta foi a segunda de três edições deste evento organizado pela Vicentina – Associação de Desenvolvimento para o Sudoeste, que se inspira na candidatura com o mesmo nome inscrita na lista indicativa à UNESCO. Desta feita, o lugar de destaque foi dado a Cabo Verde.

Ao longo de uma semana – e num primeiro momento da iniciativa, a 5 de Maio –  «residentes, visitantes e turistas a tiveram acesso a um programa cultural e de conhecimento, em torno da música, da palavra e da gastronomia», segundo a Vicentina.

Dino D’Santiago, Nancy Vieira, a estreia do projeto original Batuko Sta na Moda, a performance cine-musical «Quem manda aqui sou Eu!», de Tiago Pereira e do seu projeto A Música Portuguesa a Gostar dela Própria, videomapping, uma palestra, um showcooking e a inauguração de uma escultura foram alguns dos pontos altos do vento.

«Cabo Verde, o Lugar em Destaque, foi referência na construção do programa cultural. Mas não só Cabo Verde; a programação teve também em atenção os “Lugares” de ligação Açores e à Madeira, incluindo também referências às regiões (através da música, da palavra e da gastronomia)», segundo a organização.

Terminada a 2ª edição, a Vicentina já começa a pensar na terceira edição, «que continuará centrada no reconhecimento do valor da dimensão histórica e cultural e do património cultural dos “Lugares” que integram os “Lugares de Globalização”».

 

Fotos: Vicentina – Associação de Desenvolvimento para o Sudoeste

Comentários

pub
pub