Rota vendeu mais de cem mil petiscos – e ainda não acabou

O objetivo é chegar às 150 mil ementas vendidas

Mais de 100 mil petiscos vendidos e um impacto financeiro superior 250 mil euros. Este é o balanço da edição da Rota do Petisco que ainda está em curso e que vai terminar no domingo, dia 26.

Quando faltam seis dias para o final de mais uma edição deste evento «que dá a conhecer os melhores petiscos do Algarve e ajuda as associações locais», a Teia d’Impulsos, associação que organiza o evento, deu a conhecer alguns números.

«Tivemos já mais de 100 mil rotas vendidas nesta edição, que se traduzem num impacto financeiro direto de mais de 250 mil euros para os restaurantes aderentes», segundo Luís Brito, da Teia d’Impulsos.

«Queremos chegar às 150 mil rotas vendidas, aproveitando estes últimos dias e o fim-de-semana de sol e calor que se avizinha, sendo a Rota do Petisco o programa ideal para os petiscadores de final de dia», acrescentou.

A 9ª edição da Rota do Petisco, que teve início a 24 Abril, foi a maior até agora, contando com mais de 300 restaurantes envolvidos e um total de 12 concelhos.

«Este é um evento que tem como propósito dinamizar a região do Algarve fora da época alta e contribuir para 12 projetos sociais locais, para os quais reverte o valor de venda dos passaportes necessários para aceder aos petiscos selecionados (cerca de 107 mil euros no total das edições anteriores)», segundo a Teia d’Impulsos.

«Dos grupos de amigos, às famílias com crianças, dos que preferem cozinha de autor, aos vegetarianos, dos turistas aos locais, a Rota do Petisco reúne opções para todos os gostos e idades, sendo um evento que é já tradição na região algarvia», acrescenta a associação.

Este é um projeto de cariz cultural e recreativo, com origem em Portimão. Na Rota do Petisco podem-se degustar petiscos e doces regionais por valores entre os 2 e os 3 euros, sempre com bebida incluída.

Comentários

pub
pub