Novo comandante da GNR quer manter clima «de paz e tranquilidade» no Algarve [com fotos]

Novo comandante considera fundamental reforçar ações de fiscalização e prevenção rodoviárias

Manter a «segurança e o bem-estar» da população do Algarve é a principal prioridade de Pedro Oliveira, o novo comandante do Comando Territorial de Faro da GNR, que tomou posse esta sexta-feira, 10 de Maio, substituindo Joaquim Crasto.

Na cerimónia de tomada de posse, que o Sul Informação acompanhou, o tenente-coronel Pedro Oliveira mostrou-se satisfeito com um «importante marco na sua carreira» e garantiu que «reforçar a proximidade da sociedade, racionalizar recursos, modernizar e desmaterializar processos e procedimentos, cooperar e colaborar com outras instituições e organismos», quatro linhas orientadoras que fazem parte da diretiva estratégica da Guarda 2020, «serão o meu referencial permanente», no Comando Territorial de Faro.

O novo responsável da GNR no Algarve garantiu ainda que pretende «promover policiamento de proximidade e comunitário» e «assumir um papel ainda mais ativo na defesa da floresta contra incêndios».

Neste âmbito, Pedro Oliveira considera que a «aposta na prevenção é essencial» e promete «o empenhamento da Guarda nas ações de fiscalização e sensibilização da população, em colaboração com autarquias, para limpeza de terrenos e criação faixas gestão combustível, que são essenciais para a prevenção de incêndios. Além de facilitar o acesso de meios, permitem mitigar situações que não foi possível prevenir».

 

Tenente-coronel Pedro Oliveira

O comandante definiu ainda como objetivos «otimizar e qualificar a resposta operacional, no âmbito da investigação criminal e da proteção da natureza e ambiente».

Além disso, destaca a necessidade de «reforçar as ações de prevenção e fiscalização na rede viária é fundamental».

Fazer do Algarve um destino seguro para os turistas é também um dos objetivos de Pedro Oliveira, até porque, segundo ele, «os fatores de atração do Algarve, fruto do clima económico, estabilidade, recursos naturais e infraestruturas seriam insuficientes se não fossem pautados pela garantia de segurança».

A cerimónia foi presidida por Botelho Miguel, comandante-geral da GNR, que destacou os «atributos pessoais, dimensão humana e experiência profissional» de Pedro Oliveira, antes de realçar que tem havido uma «gradual diminuição da criminalidade registada nos últimos cinco anos na região, o que faz com que a população viva num clima de paz e tranquilidade», uma situação que «estamos determinados em preservar».

 

Tenente-General Botelho Miguel

O responsável, tal como havia feito no Dia da Unidade da GNR, voltou a lembrar o trabalho dos militares no incêndio de Monchique, no ano passado, aproveitando para agradecer os resultados obtidos durante o comando de Joaquim Crasto.

O ex-comandante, que vai reformar-se, por seu lado, destacou o «novo ciclo que se iniciou na vida da unidade, que tem como protagonista Pedro Oliveira».

Sobre o tempo que passou à frente do comando, Joaquim Crasto realça que «muitas foram as provas e muitos os sucessos» obtidos, graças ao «apoio das autarquias, instituições e população». Algo que «tem de ser continuado por todos», pediu.

Pedro Oliveira é natural da freguesia de Vila Cova, no concelho de Seia, e nasceu a 18 de Junho de 1969. Em 1996, ingressou nos quadros permanentes da Guarda Nacional Republicana, sendo mestre em Direito e Segurança, pela Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa e licenciado em Ciências Militares, pela Academia Militar.

O novo comandante territorial de Faro foi oficial de ligação da GNR no Ministério da Administração Interna, Chefe de Estado Maior da Unidade da Intervenção da GNR e comandante do Grupo de Intervenção de Ordem Pública da Unidade de Intervenção da GNR. Foi ainda comandante de companhia na operação Antica Babilónica, no Iraque, e Comandante do Pelotão Operacional UNTAET, em Timor Leste.

 

Fotos: Rodrigo Damasceno|Sul Informação

Comentários

pub
pub