Milreu viaja no tempo para cunhar moedas romanas

DiVaM e “Amatores in Situ” animam Ruínas Romanas de Milreu

Foto: Martyna Mazurek

Uma viagem ao passado para cunhar moedas do tempo dos romanos e uma nova palestra do ciclo “Amatores in Situ – O Mundo Antigo visto por quem o ama” vão dar vida às Ruínas Romanas de Milreu, em Estoi, Faro, na sexta-feira e no sábado.

Nos dias 17 e 18, o programa DiVaM vai levar a este sítio arqueológico o projeto “Viagens no tempo em Milreu através de números: o dinheiro”, que consiste numa oficina de barro para cunhagem de uma moeda de Milreu.

«Na época romana a cunhagem local de moeda era prática corrente nas cidades mais importantes do Império, denotando a dinâmica económica de uma região. Além da identificação do local de proveniência, as moedas eram decoradas com um motivo alusivo à região e com a efígie do imperador vigente. São conhecidas no Algarve as moedas das cidades da Balsa (Luz deTavira), Ossónoba (Faro), Cilpes (Silves) e Baesuris», segundo a Direção Regional de Cultura (DRCAlg), entidade que dinamiza o programa DiVaM.

Na sexta feira, a atividade terá início às 10h30h e conta com a participação da Escola Emiliano da Costa, em Estoi. No sábado, 18 de Maio, Dia Internacional dos Museus, a atividade irá acontecer das 15h às 17h e é dirigida ao público em geral. Os interessados em participar devem inscrever-se através do email milreu@cultalg.gov.pt.

Este é um projeto da QRER – Cooperativa para o Desenvolvimento dos Territórios de Baixa Densidade – e conta com Susana Martins, Marco Santos, Alexandra dos Santos e Sara Fernandes.

Na sexta-feira, às 18h00, Sónia Bombico, do CIDEHUS da Universidade de Évora, vai proferir a palestra “Entre o Atlântico e o Mediterrâneo: Navegação e Comércio marítimo em época romana”.

«Durante muitas décadas, a fachada Atlântica do Império Romano foi considerada uma área periférica, na qual os romanos enfrentavam sérias dificuldades de navegação (…). A identificação de ânforas lusitanas em centros de consumo e em naufrágios no Mediterrâneo confirma o comércio de longa distância e a integração desta região “periférica” nas rotas comerciais do Império Romano»», resume a DRCAlg.

O ciclo Amatores in situ vai na sua 5ª edição e resulta da colaboração entre a Direcção Regional de Cultura do Algarve, a Universidade do Algarve, a Associação Portuguesa de Estudos Clássicos e a Associação CÍVIS – Associação para o Aprofundamento da Cidadania. A presente edição é coordenada pela Professora Doutora Ana Isabel Soares, da FCHS/UAlg.

Todas as atividades são gratuitas.

Comentários

pub
pub