Estudo dá a conhecer impacto do Festival Sudoeste em Odemira

Obra é de autoria de Sandra Saúde, Sandra Lopes, Carlos Borralho e Isidro Féria

“O Impacto Económico e Sociocultural do Festival Meo Sudoeste no Concelho de Odemira” é o título da obra que vai ser apresentada esta sexta-feira, 24 de Maio, às 18h00, no auditório da Biblioteca Municipal José Saramago.

A obra é de autoria de Sandra Saúde, Sandra Lopes, Carlos Borralho e Isidro Féria, numa edição da Sílabas & Desafios, com base num estudo solicitado pelo Município de Odemira ao Instituto Politécnico de Beja.

A apresentação do livro será feita pelos autores, com os comentários de José Alberto Guerreiro (presidente da Câmara Municipal de Odemira), Paula Remoaldo (Universidade do Minho – docente e investigadora na área dos impactes económicos e socioculturais de eventos), Ana Isabel Rodrigues (Instituto Politécnico de Beja – docente e investigadora na área da Imagem de Destinos Turísticos), Aldo Passarinho (Instituto Politécnico de Beja – docente e investigador na área da Imagem e Comunicação) e Luís Montez (produtora “Música no Coração” – gestor, programador cultural e promotor do Festival MEO Sudoeste).

A obra apresenta o resultado da aferição dos principais impactes económicos (diretos e percebidos) do festival no município de Odemira, tendo por base a 21ª edição do Festival, que decorreu entre 1 a 5 de Agosto de 2017.

«É também apresentada uma radiografia do perfil dos festivaleiros e da sua relação com o festival e relatados os principais impactes socioculturais com base na perceção dos residentes, dos empresários e dos stakeholders do território», diz a Câmara de Odemira.

A obra «tem por objetivo contribuir para a compreensão das dimensões sociocultural e económica associadas aos eventos culturais, nacionais ou internacionais, realizados em território português».

Comentários

pub
pub