Corrida fotográfica e novas exposições no 11º aniversário do Museu de Portimão

Ponto alto das comemorações acontece no dia 18

Uma corrida fotográfica, novas exposições, música e a entrega de um novo prémio europeu são algumas das iniciativas com que o Museu de Portimão vai assinalar o seu 11º aniversário, ao longo deste mês.

O ponto alto das comemorações será a 18 de Maio, um sábado, em que se celebra não só o aniversário do espaço museológico portimonense, mas também o Dia Internacional dos Museus.

Depois de, no dia 4, os Monumentos Megalíticos de Alcalar terem recebido mais “Um dia na pré-história”, a festa continua no dia 17, às 21h00, com o “tiro de partida” para a modalidade “Especial 24 Horas” da 19ª edição da Corrida Fotográfica de Portimão.

No dia 18, sábado, todos os visitantes serão convidados a entrar gratuitamente quer no Museu, quer nos Monumentos Megalíticos de Alcalar.

Logo pela manhã, às 9h00, os participantes da Corrida Fotográfica que optaram pela prova das “12 horas” fazem-se à estrada, para uma aventura que só terminará às 21h00.

Às 17h00, serão inauguradas duas exposições: “Da minha janela ainda vejo o Algarve?” e “Reencontro com Hein Semke”.

 

“Da minha janela ainda vejo o Algarve?”, de Filipe da Palma

 

No primeiro caso, trata-se de uma exposição de fotografias de Filipe da Palma, através da qual se pretende «chamar a atenção para a riqueza, a diversidade e a singularidade de um relevante património arquitetónico algarvio, que importa preservar, resultante do saber popular ancestral, nascido de uma contínua e inteligente proximidade humana entre o mundo rural e urbano, num permanente diálogo civilizacional entre o barro, a terra e a cal», segundo a Câmara de Portimão.

Na mostra “Reencontro”, serão exibidas as obras de Hein Semke do Museu de Portimão e do Museu Nacional de Azulejo.

Esta exposição «irá permitir proporcionar um “reencontro” muito especial, entre as obras de cerâmica, pintura, gravura, monotipia, desenho e colagem do escultor alemão Hein Semke (1899-1995) das coleções dos dois museus. Deste modo, dá-se continuidade à divulgação iniciada em 2016, de novas peças pertencentes à importante doação que a sua mulher, Teresa Balté, fez ao Museu de Portimão e igualmente ao Museu Nacional do Azulejo».

Às 18h00, chegam ao Museu de Portimão as nove musas gregas, filhas de Zeus e Mnemósine (deusa da Memória), «protetoras das artes, ciências e das letras, transportando a escultura que representará o troféu “Prémio Museu Portimão”, a ser atribuído em Sarajevo (Bósnia e Herzegovina), durante a cerimónia do EMYA 2019 -Prémio Museu Europeu do Ano”, ao Museu mais acolhedor da Europa».

«Às 18h30 e ao som de acordes musicais, todos serão os convidados a provar e degustar as diferentes iguarias, sabores do mar e um bolo do 11º aniversário, muito especial», acrescentou a autarquia portimonense.

Ainda antes do mês acabar, no dia 23, às 15h00, o Museu de Portimão vai receber uma “menção honrosa” na categoria de Boas Práticas, no âmbito da candidatura do Museu de Portimão e da ARU aos “Prémios SOS Azulejo”, com a recuperação dos azulejos do Jardim 1º de Dezembro, que contribuiu para a valorização do património azulejar português. A cerimónia vai decorrer no Palácio Fronteira, em Lisboa.

 

“Reencontro” com Hein Semke

 

Inaugurado em Maio de 2008, o Museu de Portimão recebeu nesse ano uma menção honrosa na categoria “Melhor Museu Português”, pela Associação Portuguesa de Museologia, e, no ano seguinte, pelo Turismo de Portugal, na categoria “Novo Evento Público”.

Em 2010, foi distinguido internacionalmente com o prémio “Museu Conselho da Europa” e, em 2011, com o prémio “DASA – Mundo do Trabalho”. Ainda nesse ano, foi premiado pelo filme “À conversa com Manuel Teixeira Gomes”, no Festival Tour Film Brazil 2011, realizado em Florianópolis, com a “Arara de Prata – Jovens Talentos”.

Em 2015, voltou a ser distinguido pela Associação Portuguesa de Museologia, com o prémio “Inovação e Criatividade”, pelo projeto “A nossa cultura sai à rua”.

«Com a reconversão da antiga fábrica de conservas em “fábrica de histórias”, o Museu de Portimão surge como um local especificamente vocacionado para o estudo e promoção da identidade cultural e social da Comunidade Portimonense, da evolução e singularidade do seu percurso histórico e para a prestação de um conjunto de serviços, aberto a todos os cidadãos, à sua formação, fruição e iniciativa», descreve a Câmara.

Desde 2008, o Museu recebeu cerca de 700 mil visitantes «de inúmeras nacionalidades».

As comemorações do 11º aniversário são organizadas pela Município, em conjunto com o Museu de Portimão. Os apoios chegam do Museu Nacional do Azulejo, do Sul Informação, media partner da iniciativa, do Ocean Revival, do Grupo de Amigos do Museu de Portimão.

CLCC – Centro de Línguas, Cultura e Comunicação, EGOISTA, ETIC – Escola de Tecnologias, Inovação e Criação do Algarve, a Restinga, Amor às Fatias, e o Agrupamento de Escolas da Bemposta e Academia de Música de Portimão são outros apoiantes.

Comentários

pub
pub