Vila do Bispo lança itinerário virtual em terra para atrair os navegantes

Um guia na internet com informação para os navegadores quer atrair mais nautas ao concelho de Vila do Bispo e, sobretudo, dar-lhes motivos para ficarem mais dias

Um itinerário, em terra, para os nautas que procuram o concelho de Vila do Bispo. Este é, em resumo, o objetivo do guia na internet criado no âmbito do projeto europeu «Odyssea» e que foi apresentado ao público, pela primeira vez, no Seminário Lugares de Globalização, que há poucos dias teve lugar no Centro Cultural de Vila do Bispo.

Artur de Jesus, licenciado em história e técnico superior do Município, apresentou este guia virtual que pretende «proporcionar a quem está no mar mais informação sobre o que há em terra».

O guia quer fornecer informação aos navegadores, nomeadamente de embarcações à vela, que cruzam os mares entre o Mediterrâneo e o Atlântico, e que passarão a ter informação que os motive a fazer uma escala no pequeno porto da Baleeira, em Sagres, para depois visitar todo o concelho.

Organizado num itinerário de descoberta e em quatro escalas – náutica, de cultura, de sabores e de natureza – o guia contém informação «validada por um grupo de trabalho local», que incluiu técnicos da própria Câmara de Vila do Bispo (sabores), mas também uma escola náutica, uma empresa marítimo-turística, uma guia de natureza e ainda, nos aspetos do património, a Direção Regional de Cultura do Algarve.

Para já, o guia, já disponível na internet clicando aqui e apresentado em cinco línguas – português, inglês, espanhol, francês e alemão -, tem «conteúdos muito simples», num «projeto que irá crescer e não é estanque. A todo o momento, pode entrar mais informação», explicou Artur de Jesus.

O guia oferece ainda informação sobre alojamento, restaurantes, sobre eventos, um mapa de Vila do Bispo (e de Sagres? E da Raposeira?), e informações diversas, como os contactos úteis.

 

A principal zona desta página na internet é, porém, a do «Itinerário Mar & Terra Odyssea, com comentários áudio e vídeo», que propõe «uma seleção das mais belas paisagens culturais e patrimoniais de Vila do Bispo».

Organizado em duas áreas – Passeios & Itinerários e ainda Paisagens Narradas a partir do Mar – este Itinerário leva os nautas que visitam o concelho (e todas as outras pessoas que quiserem) a descobrir as «13 boias visuais, os 13 pontos de interesse já inventariados ao longo da costa de Vila do Bispo», que podem ser «convertidos em poucos segundos, com um clique, em carta de navegação».

E assim, nas «Paisagens Narradas a partir do Mar», surge informação detalhada e referenciada num mapa e numa carta, por exemplo, sobre as ações do Submarino alemão U-35 em 1917, na I Guerra Mundial, que ali afundou, num só dia, vários navios, dos quais existem ainda vestígios arqueológicos subaquáticos, ou sobre o navio de guerra francês «Ócean», que se afundou em 1759 junto à praia da Boca do Rio, durante uma batalha naval, ou mesmo sobre flora, fauna (aves e cetáceos), geologia (a Ponta do Telheiro) e até paleontologia (as pegadas de dinossauro da Salema), entre muitos outros aspetos interessantes e a visitar no litoral de Vila do Bispo.

O guia, explicou Artur de Jesus no Seminário Lugares de Globalização, ainda está a ser finalizado e pode ser enriquecido com mais conteúdos e mais detalhes. «Estamos a fazer todos os esforços para que esteja tudo pronto em finais de 2019», adiantou.

Apesar de o foco principal do trabalho ser proporcionar informações ao navegantes, que assim terão mais motivos para permanecer alguns dias no porto da Baleeira e no concelho de Vila do Bispo, aumentando a sua estadia, a informação também pode ser descarregada e usada «por quem está em terra».

 

 

Respondendo à questão colocada por uma guia de natureza presente na audiência, o técnico da Câmara de Vila do Bispo revelou ainda que também se prevê «editar toda esta informação num livro de papel».

«O objetivo principal do projeto Odyssea é fazer guias virtuais, na internet. Mas nem em terra, nem no mar podemos ter 100% de certeza de que conseguimos aceder à internet, porque as tecnologias falham. Por isso, pensou-se também em editar este guia num livro em papel».

Até ao fim de 2019, que é o horizonte temporal de execução deste projeto europeu, algumas coisas ainda terão de ser melhoradas no Guia do concelho de Vila do Bispo – como o português usado, que, em certos locais do portal, não é o de Portugal, mas o do Brasil. Um exemplo? Quando se vai descarregar a informação para o smartphone, através de um QR Code, na explicação surgem palavras como «celular», ou «escaneado». Ou a palavra contacto que aparece, em diversas zonas do site, escrita como «contato»… Ou quando se chama «tableta» ao tablet…

O projeto «Odyssea Blue Heritage – o Itinerário Marítimo Cultural em Vila do Bispo» conta com financiamento do INTERREG V. O seu grande desígnio é «implementar um modelo comum de ecoturismo baseado na capitalização das boas práticas europeias para a valorização do potencial económico e o uso sustentável do património cultural e natural dos territórios costeiros, marítimos e rurais».

Trata-se de um projeto de cooperação transfronteiriça entre a Consejería de Turismo y Deporte de la Junta de Andalucía, a Diputación de Huelva, a Região de Turismo do Algarve e as Câmaras Municipais de Faro, Lagos, Vila do Bispo e Mértola, desenvolvido ao abrigo do programa INTERREG V – Espanha e Portugal (POCTEP) 2014-2020.

Com este projeto, pretende-se «valorizar as cidades portuárias e costeiras parceiras enquanto destinos de excelência, assentando na identidade do território e do património histórico-cultural, material, imaterial, arqueológico e natural como suporte de base económica, através da marca comum Odyssea».

Comentários

pub
pub