Silves promove a leitura e recorda Abril no aniversário da Biblioteca Municipal

Atividades são dinamizadas pelo Projeto Estórias Asas

Crédito: DepositphotosDepositphotos

A Biblioteca Municipal de Silves vai comemorar o seu 11º aniversário, no dia 23 de Abril, com várias iniciativas que vão promover a leitura e os livros, sobretudo junto do público mais jovem.

Entre as 10h00 e as 10h4, vão decorrerão duas sessões intituladas “A Revolução na Caixa de Costura”, destinadas a alunos do 3º e 4º ano.

Nesta ação, «os participantes serão convidados a abrir uma caixa de costura com habitantes muito especiais». Este «é o ponto de partida desta história, que corre bem, até ao dia em que o Ministro das Finanças, um fecho éclair neto de franceses, comunica ao povo a criação de um imposto para satisfazer um capricho da Rainha Dona Agulha: pintar-se de dourado», revela a Câmara de Silves.

Segundo a autarquia, «esta história pretende celebrar Abril com os mais novos, perpetuando o seu legado de Liberdade e Democracia. Pela voz de alfinetes, tesouras, agulhas e dedais falar-se-á de política e de cidadania e descobrir-se-á o significado da palavra “Revolução”. Com humor e alguma ironia desvenda-se a identidade de um povo que pode muito bem ser o nosso».

Esta atividade terá aproximadamente 45 minutos de duração, seguindo-se um espaço de conversa.

Às 14h00, serão relembradas as “Memórias de Abril”, numa ação destinadaaos estudantes do 8º e 9º anos. Esta iniciativa terá uma outra sessão, às 21h30, mas dirigida ao público adulto.

Nesta proposta, «o público será levado a pensar a liberdade, a cantar a liberdade, a soletrá-la, repeti-la, celebrando, pois os ideais da Revolução dos Cravos e recordando os factos a ela associados».

Em “Memórias de Abril”, segundo a Câmara de Silves, «evocar-se-ão a História e as estórias do passado recente, partindo da poesia de Manuel Alegre, Ary dos Santos e Fernando Pessoa e de testemunhos reais de familiares, amigos e desconhecidos, para desse modo se poder falar de guerra, prisão, censura, tortura, emigração e exílio e, também, do sonho, da esperança e da resiliência desse mesmo povo. A música/ambiente sonoro e os elementos plásticos ocupam, a par do texto e da interpretação, um papel fundamental em Memórias de Abril».

Estas atividades integram as comemorações do 45º Aniversário do 25 de Abril e serão dinamizadas pelo Projeto Estórias Asas, que realiza espetáculos-leituras encenadas itinerantes, «com a principal missão de promover o interesse de crianças, jovens e adultos pela leitura e pelo teatro e o objetivo de estimular a imaginação, a criatividade e o sentido crítico, num espaço lúdico e de reflexão», conclui a Câmara de Silves.

Comentários

pub
pub