Odemira comemora os 50 anos da Barragem de Santa Clara

Barragem destina-se a duas importantes valências: fornecimento de água para abastecimento público e rega

A Barragem de Santa Clara, no interior do concelho de Odemira, assinala este ano o seu 50º aniversário. No dia 11 de Maio de 1969, foi inaugurada aquela que é a maior obra pública do concelho, após 10 anos de construção. Para assinalar a data, nos dias 10, 11 e 12 de Maio, o Município de Odemira e a Associação de Beneficiários de Mira vão promover um programa de atividades abertas a toda a comunidade.

As comemorações incluem cerimónia evocativa, exposições, concertos, atividades dirigidas ao público escolar e atividades desportivas, com entradas livres, com o objetivo de promover uma grande festa para a população para celebrar a obra que proporcionou o abastecimento de água a um vasto território entre o interior e o litoral.

Na manhã dia 10 de Maio, na Barragem de Santa Clara, as atividades serão dedicadas à comunidade escolar, com ações de promoção ambiental (pelo Município de Odemira), visita às instalações da Barragem (pela Associação de Beneficiários do Mira), experiências sobre energia (pela ACAL – Associação para a Ciência do Alentejo Litoral), pintura mural com Mistik e Gnose e iniciação à canoagem (pelo Clube Fluvial Odemirense).

Às 15 horas, será inaugurada a exposição alusiva aos 50 anos da Barragem pela ZUT – Associação Cultural, que decorrerá em vários espaços da aldeia de Santa Clara-a-Velha.

Durante a tarde decorrerá, na Casa do Povo, o colóquio “O Plano de Rega, a Barragem e a Charneca”, promovido pela Associação GESTO – Grupo de Estudos do Território de Odemira, e a tertúlia “Memórias vivas da Barragem”, dinamizado pelo Município. Às 21 horas, no Largo da Igreja Matriz, será apresentado um documentário sobre a construção da Barragem.

No dia 11, na Barragem, às 15 horas, decorrerá a Cerimónia Comemorativa e inauguração de Monumento Evocativo, atuação dos alunos do Centro de Valorização da Viola Campaniça e do Cante de Improviso e pintura de tela ao vivo por Philippe Peseux.

ÀS 21h30, terá início um espetáculo, que reúne em palco o grupo Ala dos Namorados e a Banda Filarmónica de Lavre, seguido de espetáculo piromusical e a atuação do DJ João Machado.

No domingo, dia 12 de Maio, também junto à Barragem, será promovido o 2º Trail do Mira e o 13º percurso de BTT “Terras do Mira”.

A partir das 15 horas, decorrerá a Tarde Cultural, a atuação do grupo etnográfico Gentes do Alto Mira, Grupo Coral Cantadores do Desassossego e do artista Toy.

Durante os dias de sábado e domingo, das 10 às 18 horas, haverá passeios de barco, visitas às instalações da Barragem, exposição e exibição de documentário sobre a Barragem na aldeia de Santa Clara-a-Velha. Haverá transporte gratuito entre a aldeia de Santa Clara e a Barragem.

 

A Barragem de Santa Clara

A Barragem de Santa Clara é uma obra estruturante para a região, destinada a duas importantes valências: fornecimento de água para abastecimento público e rega. Até à construção da Barragem de Alqueva, esta foi a maior barragem portuguesa.

O Plano de Rega do Alentejo, lançado em 1957, possibilitou em 1962 a adjudicação de algumas obras, entre elas a barragem do Rio Mira, sob a responsabilidade do Ministério das Obras Públicas, à data liderado pelo Engº Eduardo Arantes e Oliveira.

A inauguração da Barragem aconteceu a 11 de Maio de 1969, após 10 anos em construção, com a presença do Presidente da República Almirante Américo Thomaz, e do Presidente do Conselho de Ministros Marcello Caetano, bem como de todo o Governo, entidades regionais e nacionais e de milhares de populares.

A Barragem localiza-se no troço do Rio Mira, com início cerca de 3 quilómetros a montante da localidade de Santa Clara-a-Velha. Dispõe de uma bacia hidrográfica com uma área aproximada de 520 quilómetros quadrados, que serve uma albufeira com uma capacidade total de 485.000.000 metros cúbicos. A área inundada pela albufeira é de 1986 hectaresa, correspondendo a um perímetro de 242 quilómetros.

 

 

Clique aqui para aceder ao Programa (em PDF)

 

 

Comentários

pub
pub