Mãe Soberana regressa a casa este domingo entre muitos vivas

Oito homens do andor vão carregar a imagem de Nossa Senhora da Piedade ladeira acima

É já este domingo, 5 de Maio, que a Mãe Soberana volta à sua ermida, em Loulé. Milhares de pessoas, movidas pela fé, vão ajudar os oito homens do andor a carregar a imagem de Nossa Senhora da Piedade, naquela que é uma manifestação religiosa única no Sul do país.

Segundo a Câmara de Loulé, «são esperados milhares de visitantes, não só fiéis mas também muitos turistas que vêm até Loulé para testemunhar este quadro ímpar».

Depois da Festa Pequena, no domingo de Páscoa, em que a imagem da Padroeira desceu à cidade, permanecendo desde então na Igreja de São Francisco, prepara-se agora o momento alto das festividades, com a Festa Grande.

Do programa de celebrações destaca-se já esta quarta-feira, 1 de Maio, às 21h00, o Tríduo Solene, subordinado ao tema “Maria, Mãe Missionária”, que terá como pregador o Bispo Emérito do Funchal D. António Carrilho, que é natural de Loulé.

Este momento contará com a interpretação de Cânticos Marianos pela carismática voz de Teresa Salgueiro, ex-vocalista dos Madredeus.

Já no sábado, às 21h00, o Clube Hípico de Loulé fará um desfile até ao Largo de S. Francisco, onde prestará homenagem à Nossa Senhora.

No domingo são esperadas muitas emoções junto daqueles que vivem de forma muito especial esta festa. Seguindo a tradição, às 11h00, decorre o primeiro momento religioso, com a celebração de uma eucaristia na Igreja de São Francisco, transmitida em direto pela TVI.

Às 12h30, a imagem de Nossa Senhora da Piedade sai em procissão para o Largo do Monumento Engenheiro Duarte Pacheco, acompanhada pela Sociedade Musical de Instrução e Recreio Aljustralense. É junto ao Monumento que, às 13h00, se realiza mais um momento litúrgico, com a Celebração Mariana seguida de um tempo de louvor e saudação à Nossa Senhora da Piedade.

À missa campal presidida pelo Bispo Emérito do Funchal D. António Carrilho, às 16h00, junto ao Monumento Engº Duarte Pacheco, segue-se a consagração a Nossa Senhora da Piedade e o início da grande procissão que percorrerá as principais ruas da cidade, acompanhada pela Banda Filarmónica Artistas de Minerva.

Às 18h00, tem lugar o encerramento da procissão litúrgica no Largo de S. Francisco, iniciando-se então a subida para o Santuário.

«Oito homens carregam o andor, vestidos de calças e opas brancas, acompanhados por dois tochas, e sobem o íngreme cerro, ao ritmo acelerado da música da Banda Filarmónica Artistas de Minerva, acompanhados pela população a exibir-se em manifestações diversas mas verdadeiramente sentidas», diz a Câmara de Loulé.

«A escalada do caminho que dá acesso ao altar da Nossa Senhora da Piedade é um documento espantoso da fé cristã nesta terra. Ao esforço gigantesco dos homens que transportam a Virgem, alia-se a força espiritual dos muitos fiéis que, em vivas à Nossa Senhora, em passo vivo e na cadência musicada dos homens da banda, vão empurrando, no calor da fé e calçada acima, o pesado andor da padroeira».

As festividades terminam com um espetáculo de fogo de artifício, junto à Ermida da Nossa Senhora da Piedade, às 23h00, que irá iluminar o céu de Loulé em jeito de despedida à Padroeira.

Curiosamente, este ano a Festa Grande coincide com o Dia da Mãe (5 de Maio).

Tradição que remonta ao século XVI, a Festa da Mãe Soberana «é hoje um dos eventos-âncora do Algarve no eixo do turismo religioso mas, acima de tudo, uma tradição que faz parte da identidade louletana».

Comentários

pub
pub