Almodovarense Francisco Marques triunfa na Mexilhoeira Grande

As duas provas da Taça Nacional de Esperanças integraram o programa de acontecimentos de Portimão – Cidade Europeia do Desporto

Francisco Marques (Crédito Agrícola/Jorbi/Almodôvar) venceu este domingo a segunda prova do Grande Prémio Portimão Cidade Europeia do Desporto, pontuável para a Taça Nacional de Esperanças.

A corrida de 109,9 quilómetros, entre Portimão e a Mexilhoeira Grande, foi disputada sob uma chuva que não arrefeceu os ânimos dos corredores e das equipas que se apresentaram com disposição atacante.

Foi uma prova com vários repelões, provocados por pequenos grupos que foram saindo do pelotão, até que se formou um bloco de 18 ciclistas na cabeça de corrida, levando a que a diferença crescesse para o pelotão, que baixou os braços, permitindo que as decisões ficassem para os 18 fugitivos.

 

Com um grupo tão numeroso, com muitas equipas representadas, a desconfiança medrou e foi necessário atacar de longe para surpreender os rivais. A cerca de 10 quilómetros da chegada, Francisco Marques e Daniel Silva (Sicasal/Constantinos) escaparam e conseguiram a distância suficiente para discutir a vitória.

Francisco Marques foi o melhor no sprint a dois, relegando Daniel Silva para o segundo posto. O terceiro classificado foi Francisco Morais (Sicasal/Constantinos), vencedor da corrida de ontem e que, com o pódio de hoje, reforçou o comando da Taça Nacional de Esperanças.

A batalha pelas primeiras posições entre os juniores foi, desta feita, ganha por Daniel Dias (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact), seguido por João Macedo (Bairrada) e por Flávio Fernandes (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact). A geral da Taça Nacional de Esperanças na categoria júnior é comandada por João Macedo.

 

Na primeira corrida do fim de semana, a Sicasal/Constantinos impôs a lei do mais forte numa ligação de 114,2 quilómetros, entre Portimão e Alvor, que abriu no sábado as contas da Taça Nacional de Esperanças.

A corrida iniciou-se veloz, com o pelotão a impedir a formação de qualquer fuga na primeira hora de prova, durante a qual se percorreram 44 quilómetros. Foi já perto do quilómetro 50 de corrida que se deu a movimentação que viria a marcar a competição. Nessa altura atacaram dez corredores.

A nota mais saliente da dezena de fugitivos foi a presença de quatro corredores da equipa Sicasal/Constantinos e de três juniores, que revelaram coragem e capacidade física para se baterem taco a taco com os mais velhos.

A superioridade numérica da formação torriense deu frutos. A 25 quilómetros da chegada, Iuri Leitão e Francisco Morais deixaram para trás os companheiros de aventura e partiram à procura da vitória.

Francisco Morais foi o primeiro a cortar a meta, seguido por Iuri Leitão. O terceiro classificado, a 1m06s, foi outro ciclista da Sicasal/Constantinos, José Vieira. João Macedo (Bairrada) foi o melhor júnior, seguido pelo colombiano Marlon Castro (Ginestar) e por João Silva (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact).

A Sicasal/Constantinos impôs-se coletivamente na classificação por equipas absoluta, enquanto a Bairrada foi a melhor formação júnior.

 

As duas provas da Taça Nacional de Esperanças integraram o programa de acontecimentos de Portimão – Cidade Europeia do Desporto. A corrida de sábado também fez parte das iniciativas de comemoração do Dia Mundial da Atividade Física.

A Taça Nacional de Esperanças terá mais duas provas, a disputar nos dias 10 e 11 de Agosto, na Murtosa e na Curia, respetivamente.

 

Comentários

pub
pub