Algarve integrado na Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica

No Algarve, todos os 16 municípios estão envolvidos no projeto, que integra ainda Odemira, no Alentejo

A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva, preside esta sexta-feira, dia 5 de Abril, à assinatura de dois protocolos da nova geração para a Territorialização da Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica, que terá lugar na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve, em Faro.

Estes protocolos envolvem 17 municípios e mais de 70 entidades parceiras de diferentes áreas governamentais: cidadania e igualdade, educação, emprego, forças de segurança, justiça, reinserção social, saúde e segurança social.

Assim, todo o território do Algarve passa a ter respostas de atendimento especializado a vítimas de violência contra as mulheres e violência doméstica.

Na região algarvia, serão criados três Gabinetes de Apoio às Vítimas, cujas ONG coordenadoras são a APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima e a TAIPA – Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado, envolvendo um investimento de 268.000 euros, assegurados pelo Governo e municípios.

Esta nova geração de Protocolos de Territorialização, iniciativa da secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade Rosa Monteiro, integra a Estratégia Nacional para a Igualdade e Não Discriminação – Portugal Mais Igual.

No Algarve, todos os 16 municípios estão envolvidos no projeto, que integra ainda Odemira, no Alentejo.

Enquanto entidades outorgantes neste Protocolo, estarão também as CPCJ locais, as Federações de Bombeiros do Algarve e de Beja e as Universidades do Algarve e de Évora.

Comentários

pub
pub