Silves dá “nova cara” ao Jardim do Largo da República

Obra tem duração prevista de 14 meses

A Câmara de Silves já está a preparar o início da obra de requalificação do Jardim do Largo da República, num investimento de 1,8 milhões de euros.

A obra, segundo a autarquia, durará «14 meses» e o investimento beneficia de comparticipação comunitária de 558 mil euros.

«A empreitada de obras públicas consiste na promoção da requalificação paisagística e funcional do Jardim da República, contemplando espaços verdes, pavimento, remodelação integral das infraestruturas das redes de abastecimento de água, saneamento e águas pluviais, iluminação pública, telecomunicações, mobiliário urbano (abrigo de paragem, bancos e mesas de piquenique, estacionamento de bicicletas, papeleiras, bebedouros, ilha ecológica), criação de elemento de água com nebulizadores, construção de edifício com cafetaria, sanitários de uso público e esplanada com sombreamento», explica a Câmara de Silves.

Nas soluções técnicas adotadas «optou-se por uma abordagem contemporânea, de promoção do recreio e lazer, funcionalmente acolhedora e acessível a todos, em simultâneo com a manutenção da memória do jardim através da preservação de elementos caraterizadores (presença de água, árvores de grande porte, variedade florística) e da estrutura base do jardim (eixos longitudinais, simetrias e alinhamentos arbóreos)».

«As luminárias existentes no interior do Jardim constituem elementos marcantes da imagem e história do espaço e serão recuperadas e relocalizadas na zona poente, assim como o bebedouro existente que será também relocalizado».

O espaço do jardim permanecerá estruturado em três zonas distintas: Alameda das Árvores – lado poente (espaço mais aberto), Praça Central (receção de eventos, concertos, feiras, exposições) e Jardim do Fresco – lado nascente (área com carácter mais intimista e romântico).

Jardim da República – Foto de arquivo

A questão da circulação automóvel e do estacionamento foi tida em conta, garante a Câmara.

Assim vai-se manter «uma faixa de circulação de sentido único (com largura mínima estipulada), velocidade máxima de 30 quilómetros por hora e o estacionamento disposto em espinha, perfazendo um total de 79 lugares, valor aproximadamente igual ao existente».

Nos pavimentos do Jardim prevê-se a aplicação de lajes de calcário do escarpão, betão decorativo, chapas decorativas, calçada grada de granito e calçada grada de calcário. Toda a pavimentação do Jardim será de nível, jogando-se com cores e contrastes.

Ao nível da vegetação, serão respeitados «os alinhamentos arbóreos existentes por constituírem um dos elementos estruturais e caraterizadores do atual espaço».

Em 2016 foi realizado um “Levantamento Fitossanitário e Avaliação de Risco de Rutura de Árvores no Jardim do Largo da República” por uma equipa técnica do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa.

Foi ao abrigo deste estudo que a autarquia explica que procedeu «ao corte de árvores no Jardim que apresentavam um nível de perigosidade máximo (12) numa escala de 1 a 12, privilegiando a segurança de pessoas e bens, e será ao abrigo do mesmo trabalho científico» que terão de ser abatidas «novas árvores no âmbito da empreitada».

As árvores de grande porte, no lado poente, mantém-se, bem como as palmeiras existentes. «Plantas e arbustos serão transplantados para outras zonas da cidade», adianta a Câmara.

A par da manutenção máxima do existente, o novo projeto prevê a plantação de 65 árvores com altura mínima de 4 metros por forma a apressar o sombreamento, 165 arbustos (grandes), 596 arbustos (pequenos) e 2846 herbáceas vivazes.

No decurso da obra, o estacionamento automóvel será feito nas traseiras da Escola Secundária em terreno preparado para o efeito.

A todos os residentes e utentes da zona, a Câmara de Silves solicita «a melhor compreensão para os inevitáveis impactos negativos da obra que procuraremos minimizar ao máximo, sendo certo que os inconvenientes se justificam em defesa da realização de projeto e anseio antigo que é fundamental para a revitalização do Jardim e para a requalificação de espaço emblemático da cidade de Silves».

Comentários

pub
pub