Nuno Osório é o primeiro candidato da CDU à Câmara de Castro Marim

O PCP reforça que PSD e PS são os «responsáveis pela situação a que se chegou»

Nuno Osório, 36 anos, será o primeiro candidato da CDU à Câmara Municipal de Castro Marim, anunciou o PCP algarvio.

Os comunistas consideram, em comunicado, que «a renúncia dos eleitos do PSD na Câmara Municipal de Castro Marim, precipitando a realização de eleições intercalares neste município é a confirmação da incapacidade revelada, quer pelo PSD, quer pelo PS, para dirigirem os destinos da autarquia».

O PCP reforça que PSD e PS são os «responsáveis pela situação a que se chegou», «seja pela incapacidade do PSD de respeitar os resultados eleitorais e aceitar que não tinha maioria absoluta para impor a sua vontade, seja pela opção do PS, de se aliar a uma candidatura dissidente do PSD em 2017, com o objetivo de paralisar a autarquia».

Por isso, defendem os comunistas, «é sobre os ombros destas forças políticas que recai a responsabilidade da degradação do funcionamento do órgãos, da diminuição da capacidade de intervenção do município, do avolumar de problemas como o que se verificou recentemente na empresa municipal Novbaesuris, da falta de obra e de iniciativa que caracteriza este mandato».

É neste quadro que o PCP intervirá nas eleições intercalares para a Câmara Municipal no quadro da CDU, para «afirmar um projeto alternativo para o concelho».

O seu candidato Nuno Osório é natural de Lisboa e militante do PCP. «Como tantos portugueses atualmente, trabalha no setor do comércio em Ayamonte».

Nuno Osório é «ator de formação, fez teatro, publicidade, séries de televisão e cinema. Adaptou e escreveu peças de teatro para várias faixas etárias. Deu aulas de Expressão Teatral».

Quando chegou ao Algarve, trabalhou no comércio e foi como delegado e dirigente sindical que aprofundou a sua intervenção política.

Foi membro da Comissão Concelhia de Castro Marim do PCP, participou em listas da CDU em eleições anteriores no concelho de Castro Marim.

Fez parte da comissão de utentes na defesa dos serviços públicos de Castro Marim que levou à Assembleia da República, uma petição que exigiu a reabertura dos centros de saúde e contra o encerramento dos serviços públicos. Foi dirigente associativo e membro de associação de estudantes.

As eleições antecipadas em Castro Marim vão ser realizadas a 2 de Junho, segundo anúncio feito por Carlos Miguel, secretário de Estado das Autarquias Locais.

O despacho que marca a data das eleições foi publicado a 15 de Março, em Diário da República.

Comentários

pub
pub