Nas Terras do Infante, um congresso só poderia ter como tema o Mar

Homenagem ao professor Mário Ruivo fecha o programa

Foto: Nelson Inácio | Sul Informação

Nas Terras do Infante, um congresso só podia ter como tema o Mar. Este poderia ser o ponto de partida do primeiro Congresso da Associação de Municípios Terras do Infante, que vai decorrer no dia 23 de Março, no Centro Cultural de Lagos.

Organizada em estreita parceria com a Universidade do Algarve, esta iniciativa dos três municípios da ponta oeste da região – Lagos, Aljezur e Vila do Bispo – vai falar da Economia do Mar e da sua sustentabilidade, sob três perspetivas complementares: oportunidades, desafios e ameaças.

O congresso irá, assim, celebrar «a reunião de todos os autarcas destes três municípios, a presença de organismos, entidades e individualidades ligadas à temática, mas acima de tudo, conhecimento, informação, reflexão e debate relativo ao Mar e aos oceanos, como fator de diferenciação, inovação e conhecimento na forma sustentável da sua exploração, na resolução de conflitos de uso, nas novas atividades e criação de mecanismos atrativos para o investimento, entre múltiplos aspetos».

No primeiro painel, sobre a Economia do Mar, serão passados em revista cem anos da indústria conserveira de Lagos, mas irá também falar-se da inovação trazida por aquela que será a maior fábrica de congelação de produtos de pesca de Portugal e ainda pela aquacultura. Serão ainda abordadas as questões do impacto económico e turístico da náutica de recreio, da economia do surf, bem como o mar enquanto fator diferenciador no turismo da região.

Os oradores convidados são Nuno Battaglia, CEO do Grupo Battaglia Capital SA, Fernando Perna e Paulo Carrasco, investigadores da Universidade do Algarve, João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve, e ainda Francisco Castelo, responsável pela Fototeca da Câmara de Lagos.

No intervalo da manhã, será inaugurada a Exposição Mar Profundo Português, promovida pelo Ministério do Mar, que ficará depois patente ao público até 29 de Março.

À tarde, haverá um segundo painel, onde serão apresentadas comunicações ligadas à conservação da biodiversidade marinha na Costa Vicentina, o problema do mar de “plástico” e da poluição, água e oceanos.

As comunicações serão da responsabilidade de Maria João Bebianno e Jorge Gonçalves, investigadores da Universidade do Algarve, e Carla Graça, vice-presidente da ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável.

A fechar um dia de intenso debate, às 17h30, terá lugar uma homenagem ao Professor Mário Ruivo, falecido em Janeiro de 2017, com a presença da sua viúva, Maria Eduarda Gonçalves.

A homenagem integrará a estreia de um pequeno documentário em vídeo, com 10 minutos, sobre a vida e a obra de Mário Ruivo, oceanógrafo que foi um dos grandes impulsionadores da necessidade de conhecer melhor o Oceano, político, pioneiro de uma conceção ecológica da gestão dos recursos do mar. Foi ainda alto dirigente das Nações Unidas, designadamente na FAO, a Organização para a Alimentação e Agricultura e na Comissão Oceanográfica Intergovernamental da Unesco.

Em Dezembro de 2016, precisamente reconhecendo o seu legado, a Universidade do Algarve tinha-lhe atribuído o título de Doutor Honoris Causa, em Ciências do Mar, da Terra e do Ambiente. E foi nessa cerimónia que o professor Mário Ruivo disse algo que ainda se mantém atual: «Torna-se imperioso um verdadeiro incentivo à formação de recursos humanos e à atribuição de condições que garantam a continuidade da investigação com a duração necessária, para que possamos, de facto, afirmar-nos como grande potência marítima mundial. Porque não chega afirmar continuamente que temos potenciais».

Ana Paula Vitorino, ministra do Mar, presidirá à sessão de encerramento deste I Congresso da Associação de Municípios Terras do Infante, pelas 18h00.

As inscrições para o Congresso, que são obrigatórias, até por haver lugares limitados, deverão ser feitas para o email geral@terrasdoinfante.pt .

 

Clique aqui, para conhecer todo o programa (PDF).

 

Comentários

pub
pub