Musical “Milho por Peixe” sobe ao palco em Silves

Peça é encenada por Giacomo Scalisi

O espetáculo musical para a infância e famílias “Milho por Peixe” vai subir ao palco do Teatro Mascarenhas Gregório, em Silves, no dia 6 de Abril, às 15h30.

Nesta peça, será contada – e cantada – a história de Fatú, «uma menina que vivia numa aldeia onde se plantava e comia milho… só milho», segundo a Câmara de Silves.

«Neste musical diversas são as sonoridades e estilos musicais, que vão desde o Rap ao Reggae mexendo com ritmos Portugueses, entoando canções tradicionais Togolesas», acrescentou a autarquia.

O espetáculo é uma produção da CENEA Associação Cultural e conta com direção artística, dramaturgia e encenação de Giacomo Scalisi.

O musical “Milho por Peixe” resulta de uma residência artística realizada em Janeiro de 2018, a convite de Madalena Victorino (Coreógrafa e Programadora Cultural) para integrar à 4ª edição de M I R A G E M – Projecto Artístico e Pedagógico no domínio das Artes do Espetáculo nas escolas do Município de Odemira.

«Nesta residência juntaram-se um músico e uma bailarina [André Duarte e Arantxa Joseph] ao sábio olhar artístico de Giacomo Scalisi. Cada um com qualidades e conhecimentos diversos, inspiraram-se num conto recolhido oralmente na Costa Ocidental Africana, na República do Togo e criam um musical onde a simplicidade e a autenticidade são notórios pela ausência de uma elaborada cenografia ou efeitos especiais», descreve a Câmara de Silves.

 

Sinopse:

Fatú. Uma menina que vivia numa aldeia onde se plantava e comia milho…Só milho! Levada pelo sonho de um dia poder comer peixe, conhece Kudjo que vive numa aldeia de pescadores À beira mar. Ele mostra-lhe um segredo que o seu avô e o avô do seu avô foram passando de geração em geração.

Kudjo pescava o peixe com uma canção e quando chegava com o barco ao sítio da enseada, cantava com muita intenção e assim fazia a magia acontecer. Fatú e Kudjo tornam-se amigos descobrindo juntos uma grande riqueza.

Fatú tinha o milho e Kudjo, o peixe. A união de ambas riquezas tornou-se a maior riqueza de todas. Um conto cantado e uma canção contada. Um musical que vai do rap ao reggae mexendo com ritmos portugueses, entoando canções tradicionais togolesas. Um espetáculo que contribui para a cidadania global, promovendo a universalidade das culturas.

Comentários

pub
pub