Junta de Freguesia de Ferragudo ganha nova sede sem barreiras arquitetónicas

Decoração aposta em grandes imagens de Ferragudo, em fotos antigas e atuais

Instalações amplas e luminosas, preparadas para receber mesmo pessoas com mobilidade reduzida e para acolher todos os funcionários, membros do executivo e da assembleia de freguesia, um posto dos CTT, um Espaço do Cidadão e uma caixa Multibanco. Esta é, em resumo, a nova sede da Junta de Freguesia de Ferragudo, que esta manhã foi inaugurada pelo secretário de Estado da Defesa do Consumidor.

Luís Veríssimo, presidente da Junta e ferragudense assumido, lembrou o espaço «exíguo e sem condições» onde a autarquia antes funcionava, com cerca de 30 metros quadrados, num primeiro andar com escadas íngremes. «A casa de banho estava num vão de escada e eu nem cabia lá», brincou, por seu lado, Francisco Martins, presidente da Câmara de Lagoa.

O presidente da Junta acrescentou que as novas instalações também vão ficar em breve servidas com mais estacionamento, quando for construído o silo automomóvel previsto para a zona. Mas já atualmente o acesso costuma ser fácil, à exceção do Verão.

Com o fecho da dependência bancária que funcionava naquele prédio da baixa de Ferragudo, surgiu a oportunidade de comprar o espaço. Como a Junta, por ter poucos eleitores recenseados (cerca de 3000), é «das freguesias do país que recebe menos receitas diretas do FFF», ou seja, do Estado, o seu orçamento não chegava sequer para sonhar com uma mudança de instalações.

E acabou por ser a Câmara de Lagoa a avançar com a compra da ampla loja, por 245 mil euros. «Mas comprámos com tudo: as divisórias, os tetos falsos, o mobiliário, tudo. Só foi feito depois um pequeno investimento na mudança de layout, na decoração e na adaptação de alguns espaços», explicou aos jornalistas o presidente Francisco Martins.

O autarca lagoense sublinhou o esforço que o Município tem vindo a fazer para «dignificar as Juntas de Freguesia, começando pelos seus espaços de trabalho».

Depois de Lagoa, Porches e Carvoeiro, o próximo passo será a melhoria das condições da União de Freguesias do Parchal e Estômbar. Na primeira povoação, a sede funciona num primeiro andar, mas agora foram compradas duas lojas, estando em curso «obras de adaptação». «Dentro de mês e meio a dois meses», acrescentou Francisco Martins, também o Parchal passará a ter novas e dignas instalações.

O «projeto seguinte», assegurou o presidente da Câmara de Lagoa, serão as instalações em Estômbar, que terão também «um espaço novo».

Por seu lado, o secretário de Estado da Defesa do Consumidor fez questão de assinalar o «momento de grande simbolismo para a freguesia e a vila».

As novas instalações, acrescentou o governante, vão «melhorar e qualificar a forma como a Junta de Freguesia efetua o seu serviço de proximidade todos os dias».

João Torres sublinhou ainda o «empenho» da Câmara de Lagoa «para que se encontrasse uma boa solução para a instalação da Junta», reconhecendo a sua capacidade de «estimular as melhores sinergias», neste caso entre Município e Freguesia.

O secretário de Estado fez também um reconhecimento público «ao presidente da Junta de Freguesia e à sua equipa, que muito trabalharam para esta solução». «O que anima o poder local no nosso país é o serviço à comunidade e às populações. Estas instalações, já livres de barreiras arquitetónicas, com serviços como o Espaço do Cidadão e o Posto dos CTT, vão permitir que se intervenha num registo de maior proximidade», conclui o governante.

E o que irá agora acontecer às antigas instalações da Junta, que também se situam na baixa de Ferragudo? O presidente da Câmara Francisco Martins responde: «com toda a requalificação a ser feita na zona ribeirinha, haverá aqui uma revolução. Provavelmente, será um posto de turismo, mas logo se verá».

 

Fotos: Elisabete Rodrigues | Sul Informação

Comentários

pub
pub