Intervenção na Pharmacia Passos de São Brás encerra com debate sobre património

Intervenção artística é da autoria de Jérémy Pajeanc

{Play}

 

 

A intervenção “ÁGORA: ESThétique”, do artista plástico Jérémy Pajeanc, executada na fachada da Antiga Pharmacia Passos, em São Brás de Alportel, vai ser encerrada na sexta-feira, com um debate sobre o papel que a arte pode ter na defesa do património.

A festa começa às 18h00, com o encerramento da intervenção artística, feita numa casa notável do centro histórico de São Brás, a antiga Pharmacia Passos, na fachada da qual foi aberto um roço não autorizado, no âmbito da requalificação da rua Gago Coutinho, sob responsabilidade da Câmara Municipal.

Às 20h30, o fotógrafo Filipe da Palma fará a apresentação “Algarve Endmade”, que levará o público numa viagem pelo Algarve.

Segue-se o ponto alto do programa, um debate «sobre arte e o que esta pode (ou não) contribuir para as temáticas do património, da identidade e da cidadania», segundo a associação Al-Portel.

A associação de defesa do património são-brasense associou-se a esta iniciativa organizada pelo fotógrafo Filipe da Palma e por Graça Passos, dona da casa onde foi realizada a intervenção.

Esta obra de arte foi «executada como forma de expressar o sofrimento pela desfiguração do património e não como braço-de-ferro com o executivo camarário».

A intervenção que agora será encerrada «pretendeu contribuir para um debate cívico urgente em torno do que se pode ou não fazer no centro histórico, da importância dos materiais tradicionais (cal, argamassa, pigmentos naturais) e do desequilíbrio entre o poder institucional e o poder dos cidadãos».

E é precisamente isso que acontecerá na sexta-feira, às 21h15, no debate “O que pode a arte?“, que juntará Jérémy Pageanc, Gonçalo Duarte Gomes, presidente da Al-Portel, Filipe da Palma e Graça Passos.

No dia 16, é proposto um atelier para experimentar a pintura com cal e pigmentos naturais, materiais utilizados por Jérémy Pajeanc nesta intervenção.

Comentários

pub
pub