Grupos de Apoio à Saúde Mental Infantil promovem encontro em São Brás

Encontro assinala 18 anos de existência destes grupos pioneiros

Os Grupos de Apoio à Saúde Mental Infantil (GASMI) da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve promovem um Encontro Regional, no próximo dia 29 de Março, no Cineteatro de São Brás de Alportel, para assinalar 18 anos de existência e debater futuro deste projeto pioneiro a nível nacional.

Sob o mote “Um Modelo de Intervenção em Saúde Mental”, o encontro, dirigido a profissionais de saúde, da educação, do setor social, estudantes e comunidade em geral, tem como objetivo «promover o diálogo entre as equipas e os parceiros da comunidade, avaliar o trabalho desenvolvido no âmbito deste projeto pioneiro ao longo destes 18 anos na região e, em conjunto, refletirem sobre os atuais desafios que se colocam nesta área e debaterem o futuro do projeto», explica a ARS Algarve.

Segundo a entidade, «ao longo do dia, ir-se-á percorrer a linha do tempo do passado ao futuro dos GASMI com a participação de profissionais das equipas, especialistas em Psiquiatria da Infância e da Adolescência e representantes dos parceiros da comunidade (escolas, autarquias, Comissões de Proteção de Crianças e Jovens em Risco, Equipas Multidisciplinares de Apoio Técnico aos Tribunais – EMAT, Segurança Social)».

Nascidos em Novembro de 2001, no âmbito de um protocolo de colaboração entre a ARS Algarve e o Departamento de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Hospital Pediátrico de Dona Estefânia, os Grupos de Apoio à Saúde Mental Infantil (GASMI) são constituídos por psicólogos, médicos de família, enfermeiros, assistentes sociais, e terapeutas dos três Agrupamentos de Centros de Saúde do Algarve, sob a consultadoria de um consultor de psiquiatria da infância e da adolescência daquele Departamento.

Estes grupos «desenvolvem programas de prevenção e promoção de competências parentais, dirigidos a famílias de risco com crianças de 3 aos 12 anos, que manifestem alterações comportamentais, emocionais e/ou sociais clinicamente significativas e comprometedoras da sua saúde mental», explica a ARS Algarve.

A ação dos GASMI «é desenvolvida numa perspetiva sistémica e de proximidade junto das crianças, famílias e comunidade, com o objetivo de prevenir e tratar perturbações de saúde mental, bem como minimizar o seu impacto», acrescenta.

Atualmente, existem 10 equipas de GASMI na região: 4 no ACeS Barlavento (Lagos, Portimão, Lagoa e Silves); 4 no ACeS Central (Albufeira, Loulé, Faro e Olhão) e 2 no ACeS Sotavento (Tavira e VRSA).

«A relevância do trabalho desenvolvido pelos GASMI ao longo destes 18 anos foi já reconhecido pela comunidade científica e o atual Plano Nacional de Saúde Mental aponta este modelo como um exemplo de boas práticas a ser replicada a nível nacional dado que se inscreve na ótica da integração de cuidados em saúde», realça a ARS Algarve.

As inscrições para este encontro são gratuitas e estão abertas até ao dia 26 de Março aqui.

Comentários

pub
pub