Faro com semana de iniciativas para assinalar dia do doente com AVC

Iniciativas visam sensibilizar para os sinais de um AVC e para a adoção de hábitos de vida mais saudáveis

O Dia Nacional do Doente com AVC vai ser assinalado, em Faro, com uma exposição fotográfica, uma caminhada, um rastreio aos fatores de risco vascular e sessões de esclarecimento abertas ao público, de 31 de Março a 5 de Abril.

A Unidade de AVC (UAVC) do Centro Hospitalar Universitário do Algarve vai promover iniciativas abertas a toda a população, ao longo de uma semana.

No domingo, o hall de entrada do edifício central do Centro Hospitalar Universitário acolhe uma exposição fotográfica. No dia seguinte, 1 de Abril, será organizada uma sessão de esclarecimento sobre AVC no Auditório da Escola Secundária João de Deus, que contará com a presença de vários elementos do CHUA.

No dia 3 de Abril, está agendada uma caminhada pela cidade de Faro, com início no Fórum Algarve e «paragens estratégicas de sensibilização para a importância do exercício físico». No dia 5 de Abril, será promovido um rastreio dos fatores de risco vascular à população, a partir das 8h00, no Mercado Municipal de Faro.

O principal objetivo destas ações é «sensibilizar e motivar a população para a prevenção do AVC e para a identificação precoce de sinais de alerta», segundo Ana Paula Fidalgo, coordenadora da UAVC farense.

Por outro lado, também se pretende «sensibilizar a população para a sua participação efetiva na prevenção do AVC e promover a cooperação entre os diferentes níveis de cuidados de saúde», bem como «identificar pessoas com risco acrescido para eventos vasculares e diabetes, encaminhar os indivíduos com risco elevado para equipa de saúde e debater a prevenção e diagnóstico do AVC em Faro».

No fundo, serão relembrados ou dados a conhecer os sinais de alerta para um AVC, os chamados 3 F’s (falta de força num braço, desvio da face e dificuldade na fala) e «saber que, perante o aparecimento de um deles, a única atitude correta é a de acionar de imediato os serviços de emergência, através do 112», segundo Castro Lopes, médico neurologista e presidente da Sociedade Portuguesa do AVC.

«Os fatores de risco são bem conhecidos, desde a hipertensão arterial, a diabetes, o tabagismo, a fibrilhação auricular, até à obesidade e ao sedentarismo. Para além disso, de norte a sul do país são relembradas as medidas de prevenção do AVC, que passam pela adoção de estilos de vida saudáveis como uma alimentação equilibrada, a prática regular de atividade física, não fumar, controlar os valores da pressão arterial, da diabetes e do colesterol, controlando também o peso corporal e limitando o consumo de bebidas alcoólicas», acrescentou o mesmo responsável.

Comentários

pub
pub