Dino d’Santiago, Mellow Mood, Gisela João e Dead Combo confirmados no MED

Uma novidade, este ano, é a mudança do palco da Alcaidaria do Castelo para a praça Afonso III

Os portugueses Dino d’Santiago, Gisela João, Dead Combo e Diabo na Cruz, mas também Mellow Mood (Itália), Marinah (Espanha), Marcelo D2 (Brasil) e The Turbans (Bulgária/Israel/Irão/Grécia/Turquia/Reino Unido), são nomes confirmados para a edição deste ano do Festival MED, que se realiza de 27 a 30 de Junho, no Centro Histórico de Loulé.

Os primeiros nomes do cartaz deste festival foram apresentados hoje, na Bolsa de Turismo de Lisboa, a principal feira do setor em Portugal, que decorre até 17 de Março, na FIL.

Ao nível das nacionalidades que já marcaram presença neste festival de world music há duas estreias. Em 2019, Loulé vai acolher, pela primeira vez, artistas vindos de Trinidade e Tobago e do Haiti, mais precisamente Anthony Joseph e Moonlight Benjamin, respetivamente.

Também confirmada está a presença de Tshegue (Congo/França), Orkesta Mendoza (EUA/México), Selma Uamusse (Moçambique/Portugal), Kel Assouf (Nigéria/Bélgica) e dos portugueses Cais do Sodré Funk Connection.

Mellow Mood

Como tem sido hábito, nos últimos anos, a apresentação do evento, em Lisboa, apenas levanta o véu sobre o que será  a programação – os restantes nomes serão anunciados aos poucos -, mas é um espaço aproveitado pela Câmara de Loulé, promotora do MED, para dar conta das inovações.

E a principal novidade, em relação a 2018, será a mudança do palco da Alcaidaria do Castelo para a praça D. Afonso III, também conhecida como largo do chafariz, já na parte exterior da muralha.

O que já não é novo, mas continuará a ser uma aposta forte da organização, é a dimensão de amigo do ambiente deste festival. Afinal, soube-se ontem que o MED ganhou o prémio “Contribution to Sustainability” da mais recente edição do Iberian Festival Awards.

«O MED é um orgulho para Loulé e é já um evento âncora, também do ponto de vista ambiental», ilustrou Pedro Pimpão, vice-presidente da Câmara de Loulé, na apresentação do evento.

Carlos Carmo

Carlos Carmo, também ele vereador da autarquia louletana e coordenador do festival, frisou a dimensão turística deste evento, que já é uma motivação principal «para que turistas marquem as suas férias no Algarve».

A apresentação do Festival MED de 2019 também contou com a presença de Dino d’Santiago, artista natural de Quarteira que é já um nome incontornável da cena musical portuguesa e dá cartas a nível internacional.

«Este é um festival muito querido para mim, todos os anos estou lá. É o meu festival de eleição. Espero que o MED continue a elevar o que de melhor há na cultura durante muito tempo», considerou o músico louletano, que contou com o apoio do seu amigo Conan Osíris, recentemente escolhido para representar Portugal na Eurovisão, que também marcou presença na apresentação.

O Festival MED 2019 contará, ainda, com uma novidade a apelar aos amantes da sétima arte, o Cinema MED , uma iniciativa que terá curadoria do crítico Rui Tendinha e trará a Loulé o cinema do mundo, nomeadamente o filme “Gabriel e a Montanha” (Brasil), que será exibido no castelo.

Comentários

pub
pub