“Potencial Turístico de Faro” já vai na segunda edição só em 2019

Forte adesão ao curso levou a que esteja já a decorrer a segunda edição do curso desde o início do ano

Foto: Ana Madeira|Sul Informação

São já duas as levas de alunos que aproveitaram a oportunidade de conhecer o “Potencial Turístico de Faro”, numa ação de formação certificada, organizada em conjunto pela Câmara farense e pela Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve (EHTA).

Em 2019, e dado «o elevado número de inscrições», já foi concluída uma ação de formação completa e está a decorrer «uma edição extra, nos mesmos moldes, para permitir a participação de todos os interessados».

Esta segunda edição de 2019 começou a 27 de Fevereiro e terminará a 3 de Abril, «com o encerramento a acontecer na EHTA com uma experiência gastronómica de produtos algarvios e a entrega de certificados aos formandos».

A ação de formação “Potencial Turístico de Faro”, que tem uma duração de cinco dias (um por semana) e um total de trinta e seis horas de formação, dirige-se a profissionais do setor turístico, «com o objetivo de melhorar a qualidade da informação prestada aos visitantes do concelho de Faro», segundo a autarquia.

«A formação tem uma componente de visita, levando os formandos a visitar locais de interesse turístico, a fim de tomarem conhecimento da oferta dos diversos produtos turísticos que Faro tem para oferecer aos seus turistas», descreveu a Câmara de Faro.

A ação foca diversos nichos, com o turismo cultural, onde se inclui o património histórico/arquitectónico, a gastronomia, a náutica, o turismo de natureza e o desporto. O programa inclui «a visita a museus, igrejas, teatros, restaurantes, Ria Formosa e Ilhas de Faro, Culatra e Farol, entre outros pontos de referência na cidade e no concelho».

A Câmara salientou, ainda, que «Faro registou um aumento do número de camas na hotelaria, entre 2013 e 2018, passando de cerca de 1.700, para aproximadamente 4.500, distribuídas por todas as tipologias de alojamento».

«No mesmo período, o número de dormidas, passou de cerca de 290.500 para 520.000, tendo a taxa de ocupação, que também cresceu ao longo dos últimos anos, sido de 55%, situando-se acima dos valores do Algarve e Portugal», conclui a autarquia.

Comentários

pub
pub