Compromisso Marítimo viaja pela história de Lagos com homenagem a Zeca Afonso

Zeca morou e foi professor em Lagos

Uma viagem guiada através da etnografia, história e gastronomia da cidade de Lagos que culmina com um concerto-recital de homenagem a José Afonso. Assim vai ser, em resumo, o espetáculo “Compromisso Marítimo” no próximo sábado, 16 de Março, a partir das 18h00, na cidade lacobrigense. 

Este será um percurso pelos lugares históricos e referências do antigo “Compromisso Marítimo” de Lagos, um dos três, no Algarve, do qual ainda há vestígios edificados. Os outros dois são em Ferragudo, onde também já houve um espetáculo idêntico a este, e Olhão.

Como explica a associação Vicentina, promotora da iniciativa, este é «um programa cultural original que parte da ideia de um lugar comprometido com os frutos da sua história ligada ao mar». É que os Compromissos Marítimos, criados na Idade Média, foram uma espécie de confrarias de pescadores, paga por eles próprios.

O programa começa às 18h00 junto à Estátua de São Gonçalo de Lagos. Após o percurso pela cidade, o público assistirá, na Galeria Lar, ao concerto-recital “Utopia” de Ana Sofia Paiva & Marco Oliveira.

Zeca Afonso

E este será um espetáculo que voltará a mergulhar naquilo que foi o passado de Lagos. “Utopia” homenageia José Afonso, partindo da densidade poética de Zeca que, em tempos, morou e foi professor em Lagos.

Além disto, uma das músicas mais conhecidas do cantautor conta a história dos “Índios da Meia Praia” que moravam «ali mesmo ao pé de Lagos».

No final será oferecida a todos os participantes uma degustação de sabores do mar.

Como já tinha explicado Sónia Felicidade, responsável pela organização deste evento, ao Sul Informação, aquando do “Compromisso Marítimo”, em Ferragudo, este é um projeto que pretende «dar relevo às comunidades piscatórias que ainda existem e o seu conhecimento, que é pouco valorizado».

«É ir buscar o passado, o que fomos, o Algarve como terra de mareantes, de pescadores, que nos moldou assim como somos, mas também remeter para o presente e tentar valorizar as comunidades e as suas atividades. A pesca pode já não ser a principal atividade destas comunidades, mas continua a estar na raiz da sua identidade e, até a nível económico, continua a ter importância», considerou.

O público terá à sua disposição dois tipos de bilhetes: 15 euros (programa completo, percurso, degustação e espetáculo) e 7,5 euros, só com espetáculo e degustação.

Quem quiser comprar ingressos, pode fazê-lo aqui.  Os bilhetes também estão disponíveis na Worten, Agências Abreu, LAC e Associação Vicentina, e no dia do evento no próprio local por reserva (282 680 120).

“Compromisso Marítimo” conta com o apoio do programa “365Algarve”.

 

Comentários

pub
pub