Caminhadas, Contrabando e pão quente vão “aquecer” Alcoutim

Os festivais de Caminhadas e do Contrabando prometem levar muita gente a Alcoutim, em Março

Um festival de caminhadas, outro dedicado ao contrabando, em que é possível caminhar sobre as águas do Guadiana, e uma feira em que o pão quente é a estrela principal são alguns dos eventos que vão aquecer o concelho de Alcoutim, em Março.

Depois de ter começado o mês com as Jornadas do Mundo Rural, a Câmara de Alcoutim vai promover, já a partir de amanhã e até domingo, a 6ª edição do festival de caminhadas que organiza em parceria com a vizinha Sanlúcar de Guadiana, em Espanha.

«Mais tarde, de 29 a 31 de Março, teremos o Festival do Contrabando, também em parceria com os nossos vizinhos espanhóis. Pelo meio, teremos outras iniciativas, nomeadamente a Feira do Pão Quente, em Vaqueiros [dia 10]. Portanto, vai dar para aquecer, este mês de Março (risos)», disse ao Sul Informação Osvaldo Gonçalves, presidente da Câmara de Alcoutim.

Amanhã começa o Festival de Caminhadas, que dará a conhecer os trilhos, as belas paisagens, mas também os costumes e saberes de Alcoutim e de Sanlúcar.

Às “Manhãs com o Pastor”, um clássico deste festival, que se repetirá no sábado e no domingo, juntar-se-ão outras caminhadas, de um lado e do outro do rio. E se algumas, como as atividades “Vamos Caminhar e Fazer Pão” e “Na Rota dos Sabores do Porco”, estão ligadas aos sabores e saberes tradicionais, também há muitas que olham para o património cultural das duas localidades que acolhem o evento (veja o programa completo aqui).

O Turismo de Natureza, nomeadamente o de caminhadas, é já uma atividade com peso na economia de Alcoutim, assegurou o presidente da Câmara alcoutenejo. O rio, enquanto fronteira, desempenha aqui um papel muito importante.

«Tudo o que organizamos, que tenha a ver com a parte desportiva e cultural, tentamos sempre que sejam feitas em simbiose com Espanha. Porque temos a certeza de que, dessa forma, seremos muito mais fortes, tanto nós, como eles», explicou Osvaldo Gonçalves.

No caso das caminhadas, «não faria sentido fazer isto de outra forma. Mesmo que não quiséssemos, essa parceria teria sempre de existir. Porque, quando nós oferecemos o trilho, Espanha oferece a paisagem e vice-versa. Temos todo o interesse em ter esta relação de proximidade e desenvolver parcerias», acredita o edil.

Já próximo do final do mês, chega aquele que é «um evento âncora em Alcoutim», o Festival do Contrabando, que, apesar de ir apenas para a sua 3ª edição, é já uma referência.

A grande atração deste festival é a ponte pedonal provisória que é montada sobre o Guadiana, a ligar Alcoutim e Sanlúcar. Ou seja, durante três dias, é possível atravessar a pé de Portugal para Espanha, uma possibilidade que tem sido aproveitada por milhares de pessoas.

«Ao nível do que tem sido a nossa experiência, as melhorias que vamos sempre tentando introduzir a cada nova edição têm a ver, sobretudo, com a questão da parte da restauração, da disposição das lojinhas, sempre com a preocupação de nunca perder a identidade o evento», explicou Osvaldo Gonçalves.

«Nós acarinhamos o Festival do Contrabando como algo nosso, um evento âncora do concelho, e tivemos sempre a preocupação de, nesta necessidade de crescer, para dar resposta à grande procura, não perder essa identidade», acrescentou.

E, sendo esta uma parceria entre duas localidades de dois países distintos, o crescimento de um é, igualmente, o crescimento do outro.

«Aquela que acaba por ser a grande novidade é a maior envolvência por parte dos nossos parceiros espanhóis.
Sanlúcar tem feito um esforço enorme naquilo que é a procura de financiamento, do lado espanhol, para a realização deste evento, à semelhança do que nós temos do “365Algarve”, sem o qual não seria possível fazer algo com esta dimensão», disse o edil alcoutenejo.

Em 2019, Sanlúcar de Guadiana conseguiu apoios do Governo Regional da Andaluzia e da Deputácion de Huelva, «o que vem melhorar as condições para que eles participem na festa».

E, falando de pontes, Osvaldo Gonçalves ainda não perdeu a esperança de ver construída uma ponte que ligue as duas localidades.

«Vamos sempre sensibilizando as autoridades no sentido de que essa ponte aqui em Alcoutim, mesmo sendo pedonal, será um fusível de ligação que pode dinamizar muito o nosso potencial, nomeadamente no segmento do Turismo de Natureza. Se estas duas margens estiverem ligadas, haverá, de certeza, muitas mais pessoas a passar por aqui e isto dará uma grande ajuda à economia local», acredita o presidente da Câmara de Alcoutim.

Comentários

pub
pub