15% dos espectadores do 365Algarve vêm de propósito para os eventos

Dados do inquérito realizado pela UAlg entre Outubro e Dezembro de 2018

15% dos espectadores da terceira edição do 365 Algarve, em curso até Maio, indicaram esta programação como motivo principal para a visita à região algarvia, revelam os dados do Relatório Intercalar de Avaliação ao 365 Algarve, elaborado pela Universidade do Algarve, a que o Sul Informação teve acesso.

Um número bem superior aos 2% da segunda edição e aos 5% da primeira.

No dia em que começa, em Alcoutim, um dos eventos mais originais e de maior sucesso da programação – o Festival do Contrabando -, ficou ainda a saber-se que, daquele grupo de espectadores, 9% indicaram que, sem o 365Algarve, teriam vindo à região no Verão e outros 9% em Maio, o que atesta a importância da programação para atenuar a sazonalidade.

Por outro lado, ainda segundo os dados do inquérito realizado pela UAlg entre Outubro e Dezembro de 2018, 18% dos espectadores pernoitaram no local do evento e 30% tomaram pelo menos uma refeição num estabelecimento próximo.

Também de acordo com o Relatório Intercalar, 69% dos turistas inquiridos consideraram a experiência de visita ao Algarve melhor do que esperavam.

O 365Algarve tem atraído cada vez mais público e a média de espectadores por sessão aumentou em todas as edições. Assim, na primeira edição a média foi de 203, enquanto na terceira, que decorre até Maio próximo, já se regista uma média de 446 pessoas por sessão.

Até à data, assistiram aos eventos mais de 300 mil espectadores. Nos últimos três anos, foram promovidas 1553 iniciativas, num investimento global de 4,5 milhões de euros, financiados pelo Turismo de Portugal.

Ao mesmo tempo, e embora não se deva apenas ao 365Algarve, as dormidas na região durante a época baixa aumentaram 23% desde 2016. Em reflexo disso, a taxa de sazonalidade diminuiu de 46% em 2015 para 42,7% em 2018. Além disso, em Janeiro e Fevereiro deste ano, os passageiros desembarcados no aeroporto de Faro aumentaram 22,2% e 19,1%, respetivamente.

 

Foto: Elisabete Rodrigues | Sul Informação

 

Comentando estes dados, Ângela Ferreira, secretária de Estado da Cultura, disse ao Sul Informação que «a dois meses de terminar a 3ª edição do 365Algarve, os resultados são os mais animadores possíveis. Com esta parceria entre as áreas governativas da Cultura e do Turismo, conseguimos atrair cada vez mais público ao Algarve através de uma programação cultural diversificada e de qualidade».

Por seu lado, Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo, salientou ser «uma grande satisfação ver como o 365Algarve se afirma cada vez mais como um instrumento importante para promover o Algarve como um destino atrativo e com vida ao longo de todo o ano com base no que é único: a riqueza cultural da região».

«O crescimento dos principais indicadores turísticos na época baixa no Algarve mostra a capacidade do turismo ser cada vez mais sustentável ao longo do ano, sendo essencial este trabalho conjunto entre todos para que esta diminuição da taxa de sazonalidade continue a acontecer», acrescentou Ana Mendes Godinho, em declarações ao Sul Informação.

Mas não é só ao turismo e à sazonalidade que o 365Algarve tem trazido bons resultados. A própria criação artística da região algarvia tem beneficiado com este programa, como salientou a secretária de Estado da Cultura nas suas declarações ao nosso jornal. «Há espetáculos do 365Algarve que nasceram na região, mas que já estão a circular por todo o país. É muito motivador este efeito de empreendedorismo cultural. O programa também está a estimular novas encomendas e criações às estruturas culturais locais, dinamizando o setor», disse Ângela Ferreira.

Exemplos de projetos que conseguiram circular a nível nacional, depois de terem passado pelo 365 Algarve, são os espetáculos «Carripana» e «Elastic».

No primeiro caso, trata-se de um projeto lançado na primeira edição, que já fez 48 apresentações em todo o país, com um conceito inovador de teatro móvel, onde os atores se deslocam de carrinha pelas localidades.

Quanto ao «Elastic», é um projeto da 3ª edição em curso, que, além de quatro apresentações no Algarve, já teve outras tantas em Lisboa, no Teatro Ibérico.

 

Foto: Martyna Mazurek | Sul Informação

Os dados do Relatório Intercalar, como o nome indica, são apenas provisórios, sendo atualizados no final da 3ª edição, em Maio próximo.

O 365Algarve é um programa cultural que percorre todos os municípios do Algarve nos meses de época baixa, decorrendo sempre entre Outubro e Maio. Tem até agora três edições (2016/2017, 2017/2018 e 2018/2019), estando já anunciada uma quarta edição entre Outubro deste ano e Maio de 2020.

O programa é desenvolvido pelos membros do Governo das áreas da Cultura e do Turismo e construído a partir das propostas de agentes culturais e de animação turística, exclusivamente, sedeados no Algarve.

Tem um orçamento anual de 1,5 milhões de euros, pagos pelo Turismo de Portugal. O Ministério da Cultura assegura a coordenação artística da programação e a análise das candidaturas, assim como a gestão, em conjunto com a Região do Turismo do Algarve.

Comentários

pub
pub