Stefan Küng vence contrarrelógio de Lagoa mas Pogacar continua de amarelo

Esloveno da UAE Emirates Team não foi o mais rápido na 3ª etapa, mas manteve a camisola amarela

Tadej Pogacar/Foto: Hélder Romão

Tadej Pogacar manteve a camisola amarela da Volta ao Algarve em bicicleta, depois da etapa contrarrelógio individual que se disputou hoje, no concelho de Lagoa. A tirada foi vencida por Stefan Küng, da Groupama-FDJ, que partiu para esta 3ª etapa no 27º posto da geral.

O algarvio Amaro Antunes, da CCC Team, é o décimo na geral, após esta etapa, e passa a ser o português mais rápido desta edição da Volta ao Algarve. No contrarrelógio de Lagoa, o ciclista de Vila Real de Santo António acabou na 32ª posição.

Ontem, após o final da 2ª etapa, o também algarvio João Rodrigues era o melhor português e ocupava a 7ª posição da geral, logo seguido por Amaro Antunes, que era o 8º. O atleta de Faro, que alinha pela Porto/W52, terminou a tirada de hoje na 63ª posição. Na geral, é agora o 17º.

Nas contas do topo da classificação, Tadej Pogacar, da UAE Team Emirates, foi o quinto mais rápido na etapa de hoje e não só manteve a amarela, conquistada ontem na subida à Fóia, como ampliou a distância para o segundo da geral, que é agora o espanhol Enric Mas, da Deceuninck-QuickStep.

«Estou muito satisfeito. Sentia-me confiante mas não esperava reforçar a liderança. Fiz um bom contrarrelógio, fui bem orientado no esforço pelo meu diretor desportivo e consegui um excelente resultado. Agora estou com a camisola amarela e com o apoio da minha equipa vamos tentar protegê-la até ao fim», resumiu Tadej Pogacar, no final da etapa de hoje.

Stefan Kung_Foto Federação Portuguesa de Ciclismo

No que à 3ª etapa diz respeito, o mais rápido foi o suiço Stefan Küng, que só precisou de 24,33 minutos para cumprir os 20,3 quilómetros da etapa. O dinamarquês Soren Kragh Andersen, da Sunweb, precisou de mais dois segundos para cumprir a mesma distância e o belga Yves Lampaert, da Deceuninck-QuickStep, de mais cinco.

«Fiz este contrarrelógio na Volta ao Algarve do ano passado e isso deu-me alguma vantagem, pois conhecia o percurso e sabia onde fazer mais esforço. Tive um início algo conservador, mas, depois de estabelecer o meu ritmo, insisti e acabei por fazer a diferença no final. É a primeira corrida do ano e, por isso, é a primeira vez que nos comparamos com os outros. É uma altura de ajustes. Estou numa nova equipa e durante o Inverno trabalhamos bastante para ajustar todos os detalhes e por isso é muito positivo vencer neste primeiro teste», explicou Stefan Küng, campeão da suíço da especialidade.

 

Fotos: Nélson Inácio|Sul Informação e Hélder Romão

(Em Atualização)

Comentários

pub
pub