Sardinhas nascidas em piscicultura do IPMA «já têm tamanho para ir para a grelha»

Investigadores do IPMA vão esperar pela postura do lote de sardinhas que já nasceu nas suas instalações experimentais de Olhão

Sardinhas que nasceram na Estação Piloto de Piscicultura de Olhão (EPPO), do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), há cerca de um ano, já atingiram 16 centímetros, tamanho suficiente para «ir para a grelha».

No entanto, não será esse o destino das sardinhas nascidas em cativeiro, a partir de progenitores selvagens que acasalaram e fizeram a postura de ovos nas instalações da estação piloto, revelaram os responsáveis por esta linha de investigação.

Os investigadores do IPMA estão a aguardar «pelas posturas deste lote já nascido na EPPO», levando mais longe esta experiência, que pode ser determinante para tornar mais sustentável o consumo de sardinha, um recurso cuja pesca tem sido sujeita a fortes restrições.

 

Fotos: Estação Piloto de Piscicultura de Olhão

Comentários

pub
pub